‘Não deveria ser uma pauta ideológica’, diz Major Vitor Hugo sobre voto impresso

Líder do PSL concedeu entrevista ao programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan, desta quarta-feira, 11, e falou sobre a rejeição da PEC

  • Por Jovem Pan
  • 11/08/2021 20h03 - Atualizado em 11/08/2021 20h50
Maryanna Oliveira/Câmara dos DeputadosParlamentar fez comentários sobre os rumos da votação

Em votação realizada na noite da última terça-feira, 10, o plenário da Câmara dos Deputados rejeitou a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do voto impresso. O tema contou com voto favorável de 229 parlamentares, ficando abaixo do mínimo de 308 que eram necessários para fazer com que o texto fosse aprovado. Outros 218 deputados foram contra a PEC, e um se absteve da votação. Com a rejeição, o texto será arquivado. Um dos maiores apoiadores do texto, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), falou sobre o tema na manhã desta quarta-feira, 11, dizendo que “hoje sinalizamos uma eleição, não é que está dividida, mas uma eleição onde não vai se confiar no resultado das apurações”.

Em entrevista ao programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan, o deputado federal Major Vitor Hugo (PSL-GO), que é líder do PSL na Câmara, falou sobre a rejeição da PEC na Casa, dizendo que a oposição tornou o tema uma “pauta ideológica” e que deputados que votaram contra quiseram passar uma mensagem para o governo de Jair Bolsonaro. “Eu concordo que não deveria ser uma pauta ideológica. Mas, infelizmente, o outro lado, o lado que não queria, acabou a tornando, fazendo com que a direita mais clara que quisesse o voto impresso auditável e a esquerda e a oposição para infligir, ou achando que iria infligir uma derrota para o governo, se mobilizou do lado contrário. Muitas pessoas que, no passado defenderam o voto impresso, votaram agora contrário na intenção de passar uma mensagem para o governo de que ‘não tem uma base consolidada nas pautas que não são econômicas’. Nesse sentido que eu falei que seria uma pauta ideológica, por que ela se tornou uma pauta ideológica”, afirmou o deputado.

Confira a íntegra do programa desta quarta-feira, 11: