Coppolla fala sobre Sergio Moro: ‘Silêncio ensurdecedor em relação aos excessos do STF’

Em entrevista ao Pânico, o apresentador falou sobre o cenário político do país e seu novo programa que estreia nesta terça-feira, 30, na Jovem Pan News

  • Por Jovem Pan
  • 29/11/2021 18h08 - Atualizado em 29/11/2021 18h43
Reprodução/PânicoCaio Coppolla foi o convidado do programa Pânico desta segunda-feira, 29

Nesta segunda-feira, 29, o programa Pânico recebeu o jornalista Caio Coppolla. Em entrevista, ele analisou a possível candidatura do ex-juiz Sergio Moro à presidência em 2022. “A minha decepção pessoal com Moro diz respeito à diferença de postura quando ele era juiz para quando ele navegou pela política. Como juiz, ele demonstrou invejável coragem, se expôs ao risco, isso é louvável e deve ser lembrado, na política eu já não vi essa mesma coragem. O silêncio dele em relação aos excessos do STF é ensurdecedor”, disse. “Pelo histórico dele, darei o benefício da dúvida a essa candidatura. Eu tenho uma cabeça aberta para ser persuadido que, de repente, ele é uma escolha boa para o país e vai enfrentar o sistema.”

Coppolla também negou a possibilidade de uma candidatura própria nas eleições de 2022. “Para ser um bom candidato você precisa ter independência financeira. Requer uma maturidade emocional que eu ainda não tenho. Não me acho merecedor. Ser representante popular é a honra máxima. Não entendo carreirismo político, para mim isso não faz sentido. Ir para a política seria algo parecido com a retribuição, onde pessoas extraordinárias doam de forma cívica uma parte do seu tempo, energia e vida em prol do próximo. É um compromisso seríssimo, nem me vejo a altura de um desafio dessa natureza.”

Com estreia na TV Jovem Pan News marcada para a próxima terça-feira, 30, o apresentador falou sobre as expectativas para o Boletim Coppolla, nome que leva o novo programa. Para ele, o formato é um dos maiores diferenciais da atração.”Ele tem um formato disruptivo, estou ansioso para ver como o público vai receber. A gente normalmente pensa em formatos com trinta minutos, uma hora.  A ideia é fazer um programa com cara de quadro, aprofundar um tema em 6 minutos, depois trazer especialistas ou trocar de assunto.”

Confira na íntegra a entrevista com Caio Coppolla: