França alfineta possível candidatura de Doria à Presidência: ‘Renunciará de novo sem cumprir o mandato’

Ao Pânico, o político do PSB confirmou sua pré-candidatura ao governo de SP e afirmou estar aberto a apoios de outros partidos: ‘Minha disputa será contra o Doria ou o Dorinha [Rodrigo Garcia]’

  • Por Jovem Pan
  • 19/11/2021 17h10
Reprodução/Pânico Márcio França fala no microfone do programa Pânico O ex-governador Márcio França foi o convidado do programa Pânico desta sexta-feira, 19

Nesta sexta-feira, 19, o programa Pânico recebeu Márcio França, ex-governador de São Paulo. Em entrevista, ele falou sobre a disputa entre João Doria e Eduardo Leite pela candidatura à presidência em 2022. “Não tenho inimigos políticos. Tenho pena do Doria porque ele parece não ter noção dos riscos que está correndo, renunciar de novo depois de ter sido eleito sem cumprir mandato, vai tomando uma bronca com as pessoas. Isso soa sempre falso. Tem um homem que pode unir o Brasil, que é o João Doria, 100% não gosta dele”, ironizou. Para França, as prévias do PSDB são prejudiciais para as relações internas do partido. “Vão ter um problema grave, as prévias são um bom instrumento, mas como não há hábito, as pessoas ficam bravas. O PSDB hoje só existe em São Paulo e no Rio Grande do Sul, vai ter dificuldade em sobreviver. Foi um partido importante, mas foram poucos diluídos, tem uma confusão ideológica interna.”

Candidato a governador do Estado de São Paulo em 2018, França falou sobre sua relação com Geraldo Alckmin, afirmou que pretende concorrer ao cargo novamente nas eleições de 2022 e não nega o apoio de outros partidos à sua possível chapa. “Desde o início combinamos de fazer isso em conjunto, o Alckmin saiu magoado dessa relação interna do PSDB, a forma como ele foi tratado. Eu queria muito que ele tivesse conosco, vamos ver como vai compor essa chapa. Ele é um nome nacional, tem o voto rural, agro e religioso. Quando você coloca o nome dele aqui em São Paulo, ele está na frente de todo mundo. Se todos quiserem me apoiar, ótimo, a minha disputa será contra o Doria ou o Dorinha [Rodrigo Garcia]. Brasileiros tucanos, quem quiser ver o melhor debate na TV, vote contra o Doria, porque se ele perder a prévia, será candidato a governador de São Paulo e vocês terão a oportunidade de ver os debates da fase 2.”

O político ainda falou sobre possíveis adversários a serem enfrentados nas eleições estaduais de São Paulo no próximo ano, como Tarcísio Gomes de Freitas, Paulo Skaf e Guilherme Boulos. “Tenho uma referência positiva do Tarcísio, quem conhece gosta dele, mas ele não é de São Paulo, vai ter dificuldade. Acho que o Skaf é um candidato forte, ele tem chances de ir para o segundo turno. O Boulos acaba colaborando para facilitar a vida dos tucanos, para os tucanos ele é um presente importante. Seria importante ele ter uma experiência política para testar se as ideias podem dar certo, não ficar só na coisa romântica. Quantas pessoas têm boas ideias e não conseguem executa-las?”, questionou.

Confira na íntegra a entrevista com Márcio França: