Gabriel Monteiro desabafa sobre ameaças de morte: ‘Não consigo dormir’

Em entrevista ao Pânico, vereador carioca afirmou que sofreu três atentados desde o início de seu mandato

  • Por Jovem Pan
  • 02/02/2022 16h02
Reprodução/Pânico Gabriel Monteiro no estúdio do programa Pânico Gabriel Monteiro foi o convidado do programa Pânico desta quarta-feira, 2

Nesta quarta-feira, 2, o programa Pânico recebeu o vereador Gabriel Monteiro (PSDRJ). Em entrevista, ele desabafou sobre as ameaças de morte que, segundo ele, acontecem desde que assumiu seu mandato na Câmara da capital fluminense. “Eu não me sinto feliz hoje, não consigo dormir, acumulei diversos problemas diante de tanta perseguição, tanto trabalho que faço, mas isso era natural diante do que escolhi para minha vida. Estou combatendo uma máfia na Saúde do Rio, tantas prisões que negligenciou não só uma vez, mas mais que uma vez”, disse. “Isso me gerou muitas perseguições quando minha família é ameaçada ou atingida. Minha mãe perdeu o emprego, estou combatendo as milícias. É algo pesado. Mas escolhi isso”, completou.

Ex-policial militar, Monteiro também fez críticas à corporação. “Quero mudar minha sociedade, está claro meu objetivo, meu propósito. De lá pra cá tentaram me matar mais uma vez, o carro foi fuzilado. Se eu continuasse na polícia militar, iriam me matar. Isso era claro”, afirmou. “Após fazer tantas denúncias, prender tantos coronéis corruptos, que todo mundo sabe que isso não é um fato escondido. Existe muito comandante safado, corrupto e pilantra, que pega dinheiro do tráfico e fecha com a milícia. Fui contra isso. Minha permanência foi praticamente impossível.”

Para o parlamentar, o Brasil ainda não atingiu um nível de mudanças necessárias na segurança pública. “Qual foi a grande mudança da filosofia da segurança pública? Bom, não adianta falar de mudança sem ter reformas necessárias”, disse. Segundo Gabriel, um código penal ultrapassado e a estrutura da polícia impossibilitam os avanços na área. “Temos um código penal atrasado, da década de 40, temos filosofias errôneas que atrapalham o serviço da segurança pública. Não temos um projeto de reestruturação das polícias. Está tudo errado.

Confira na íntegra a entrevista com Gabriel Monteiro: