Guilherme Boulos diz que Witzel é sociopata: ‘Deve ser preso por homicídio’

Ex-candidato à presidência da República, Guilherme Boulos (PSOL) criticou a política de segurança pública de Wilson Witzel (PSC)

  • Por Jovem Pan
  • 23/09/2019 14h32
Jovem PanGuilherme Boulos foi o convidado do Pânico nesta segunda-feira (23)

O ex-candidato à presidência da República Guilherme Boulos (PSOL) criticou, em entrevista ao Pânico, nesta segunda-feira (23), o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

Boulos usou a morte da garota Ágatha, de 8 anos, no Complexo do Alemão, para atacar a política de segurança pública implementada pelo governador. “Política de segurança pública não se faz com tiro, porrada e bomba. O Witzel é um sociopata que deveria estar preso, tem que sair algemado do Palácio da Guanabara”, afirmou. “Ele deve ser preso por homicídio.”

O político do PSOL disse ainda que o que Witzel está fazendo “não é o remédio, é o veneno”. Para ele, o combate ao tráfico e ao crime organizado deve ser feito usando inteligência. “É preciso uma integração das polícias. Não adianta ver o aviãozinho da favela e achar que ele é o problema da República”, explicou.

Boulos também comentou o fato de que a guerra tráfico tem feito vítimas principalmente nas comunidades carentes. Ele acredita que, se a garota assassinada fosse de outra classe social, a comoção seria diferente.

“Se uma criança de oito anos tomasse um tiro nos Jardins ou na Avenida Paulista, teríamos uma manifestação de 1 milhão de pessoas no domingo”, afirmou o ex-presidenciável. “Algumas violências são sentidas com mais dor do que outras”, lamentou.