Privatizações: ‘Governo Bolsonaro tem mostrado um resultado nunca visto antes’, diz secretário da Economia

Em entrevista ao Pânico nesta sexta-feira, 14, Diogo Mac Cord analisou que o país vive ‘janela de oportunidade’ com ‘profissionais bons no governo, parlamentares sérios e sociedade interessada’

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2021 16h48 - Atualizado em 14/05/2021 18h30
Imagem: Reprodução/PânicoSecretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord

Em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, nesta sexta-feira, 14, o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord, analisou o cenário das privatizações no Brasil, afirmando que os resultados obtidos pelo Executivo estão superando as expectativas. “No governo, contamos com um pessoal bastante comprometido com a agenda Brasil. Estamos vivendo uma janela de oportunidade porque há muitas pessoas boas no governo, parlamentares sérios e uma sociedade interessada em política. Estamos em uma época boa para transformar o Brasil. Na agenda de privatizações, o governo Bolsonaro tem mostrado um resultado nunca visto antes”, disse. De acordo com os números apresentados pelo secretário neste mês, desde o início do mandato até abril deste ano, o governo federal movimentou R$ 200 bilhões com a venda de subsidiárias de estatais e com a alienação de ações detidas pela União e suas empresas.

“Sinceramente, não há nenhuma parte do governo que é contrária às privatizações. Atualmente, há 46 empresas estatais de controle direto. No entanto, quinze delas estão incluídas no Programa Nacional de Desestatização (PND). Isso não quer dizer que as quinze serão privatizadas, mas estamos estudando a possibilidades de desestatizá-las. Não podemos olhar para as 46 organizações ao mesmo tempo, devemos colocar prioridades”, analisou. Em dois anos de mandato, a gestão do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não privatizou nenhuma estatal direta. Segundo Diogo Mac Cord, isto ocorre porque é longo o processo de venda das empresas. “Só de termos desinvestido nestas instituições e lucrado com as privatizações indiretas, conseguimos R$ 200 bilhões – o que configura uma entrega grande. Considerando o significado estrito da palavra ‘privatizações’, devo dizer que este é um projeto que demora no mínimo dois anos para sair do papel. Quando chegamos no governo, não havia nenhum estudo em desenvolvimento. Entre tomarmos a decisão de privatizar e publicar o edital de venda, demora. Apesar disso, veremos que os projetos começarão a ficar prontos a partir de agora”, concluiu.

Assista na íntegra a entrevista com o secretário Diogo Mac Cord: