Janaina Paschoal sobre conflitos no PSL: ‘Muita confusão para um país só’

Deputada pediu que parlamentares envolvidos aproveitem o final de semana para ‘orar e refletir’

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2019 17h47
Roberto Casimiro/Estadão ConteúdoJanaina disse, ainda, que o que atrapalha o presidente Jair Bolsonaro são os filhos

A deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) disse nesta sexta-feira (18), em entrevista ao programa Pra Cima Deles da Jovem Pan, que os recentes conflitos no PSL são “muita confusão para um país só”. Ela ainda pediu que os parlamentares envolvidos aproveitem o final de semana para “orar e refletir”.

“Respinga na esfera estadual, sim. Eu me coloco em uma situação de quem está olhando, mas peço pelo amor de Deus para essas pessoas refletirem. […] As pessoas me ligam para perguntar ‘de que ala você é?’. Eu não sou de ala nenhuma! Eu não estou nem entendendo isso aí, não tem lógica”, afirmou a deputada.

Janaina também demonstrou preocupação com uma possível interferência das discussões na votação da reforma da Previdência, prevista para a próxima terça-feira (22) no Senado. “Esse conflito todo nas vésperas da votação… Temos que aprovar a reforma na terça, não é hora de confusão”, ressaltou.

O senador Plínio Valério (PSDB-AM), que também participou do programa, rebateu a deputada, assegurando que a confusão “não vai respingar” na aprovação em segundo turno da reforma. “Há um compromisso generalizado no Senado, temos consciência que a nação precisa dessa reforma, colocada em pauta, a gente vota. Estamos prontos para votar e o sentimento é pela aprovação com um número muito grande de senadores”, afirmou.

Filhos do presidente

Janaina disse, ainda, que o que atrapalha o presidente Jair Bolsonaro são os filhos. Para ela, Bolsonaro entrou em uma nova discussão por tentar colocar os filhos em cargos no governo. “Essa coisa do presidente só confiar nos filhos e acreditar que eles poderão estar em todos os lugares está atrapalhando demais o governo. Não critico mais os filhos, estou pedindo para o presidente compreender, ele precisará confiar em outras pessoas.”

Um dos ápices do conflito foi quando um áudio de Bolsonaro, em conversa com aliados, foi divulgado. Na gravação, ele falava em articular a remoção do cargo do líder do PSL na Câmara dos Deputados, Delegado Waldir, para colocar o seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) no cargo.

“Ele não vai poder colocar um filho em cada canto. Se não está bom, vamos construir uma liderança com diálogo, trocas de ideias”, afirmou Janaina. “O presidente vai precisar fazer um trabalho ouso dizer até psicológico para sair dessa dinâmica, porque se ele não sair disso, não vai conseguir governar, e eu falo isso com preocupação”, continuou.

Arbitrariedade do STF

A deputada, que protocolou um pedido de impeachment no Senado do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, criticou também as “decisões arbitrárias” feitas pela Corte. Ela citou a deliberação de Toffoli que suspendeu todos os processos judiciais com dados compartilhados pelos órgãos de fiscalização e controle sem autorização judicial.

Além disso, afirmou que “não dá para acreditar que uma Corte em tão pouco tempo se reúna tantas vezes para rever as suas próprias decisões”, como no julgamento da possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.

A decisão pode beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), além de outros presos e condenados no âmbito da Operação Lava Jato. Para Janaina, se o STF começar a anular conquistas da Lava Jato e outras operações e investigações no País, a saída será denunciar para instituições internacionais.