Brunna denuncia ofensas racistas para Ludmilla: ‘Não temos um dia de paz’

Cantora desativou as redes sociais nesta sexta-feira, 18, após ser xingada mais uma vez; segundo a assessoria, ‘ato é consequência de seu cansaço diante do ódio destilado’

  • Por Jovem Pan
  • 19/12/2020 13h46 - Atualizado em 19/12/2020 13h46
Reprodução/InstagramLudmilla e a esposa Brunna

A bailarina Brunna Gonçalves saiu em defesa da esposa, a cantora Ludmilla, neste sábado, 19. Ela denunciou ofensas racistas sofridas por Lud e afirmou que “isso tem que acabar”. “Vocês não tem noção de como eu fico vendo ela triste! Isso tem que acabar! RACISMO É CRIME CARALHO! PAREM COM ISSO!! ESTAMOS COM VOCÊ LUDMILLA”, escreveu Brunna. “Não temos um dia de paz, todo santo dia ela é atacada por nada! Vocês vão pagar por tudo isso! Racistas não passarão”, continuou a bailarina. A assessoria de imprensa da cantora, a Trigo Press, confirmou que ela desativou as redes sociais nesta sexta-feira, 18, após sofrer ataques racistas mais uma vez. “Durante o dia, a cantora já havia reclamado com a sua equipe sobre os ataques racistas que vinha sofrendo, chegando até a responder alguns tweets que diziam que ela responderia caso ‘jogassem casca de banana’ entre outros insultos racistas e misóginos”, afirmou em nota. “Ressaltamos que, ao contrário de qualquer especulação, tal ato não faz parte de nenhuma estratégia de marketing e é simplesmente uma consequência de seu cansaço diante do ódio destilado nas redes sociais. Informamos ainda que todas as postagens de cunho racista e homofóbicas estão sendo documentadas para encaminhamento à justiça”, disse.

Em junho, Ludmilla foi alvo de ataques racistas após divulgar um vídeo expondo detalhes de uma briga que teve com Anitta. Na época, a cantora se pronunciou em defesa de Lud: “Criminosos covardes que se dizem meus fãs estão propagando mensagens de racismo e injúria racial nas redes sociais. Já disse e repito – isso é abominável e inadmissível”, escreveu Anitta em seus perfis no Twitter e no Instagram. “Minha equipe já está apurando tais perfis que até então não foram identificados como membros de nenhum fã clube do nosso registro. Mas não me calarei ou me acomodarei frente a esses absurdos que tenho lido e que estão chegando até mim. Quem fez isso vai pagar pelo que fez. E quem pensar em fazer, saiba que a justiça vai atrás de você também. Já acionei advogados e especialistas em crimes de internet. Racismo não. Racismo é crime.”