Luisa Mell revela que ela e amigo atropelaram um bandido para salvar cachorro

Ativista contou que o acidente aconteceu quando foi resgatar o animal em uma comunidade

  • Por Jovem Pan
  • 02/09/2021 09h25 - Atualizado em 02/09/2021 11h35
Reprodução/GNT/02.09.2021Luisa Mell contou deu detalhes de um acidente que aconteceu ao ir resgatar cachorro

A ativista e apresentadora Luisa Mell revelou que ela e um amigo atropelaram um homem ao ir resgatar um cachorro ferido em uma comunidade. Durante participação no programa “Que História é Essa, Porchat?”, do GNT, ela contou que quando o filho era bebê recebeu uma mensagem com uma foto de um cachorro ensanguentado que precisava de ajuda. Luisa chamou o amigo e eles foram por volta das 22h atrás do animal. No caminho, um acidente aconteceu. “Estava muito escuro e de repente… boom! Não vi de onde, mas veio uma moto e bateu no carro. Era um lugar totalmente deserto e de repente começaram a aparecer muitos homens. Desesperada, eu falei para chamar a polícia [e ouvi]: ‘Aqui polícia não entra’. Eu demorei para me ligar, achei que a polícia não chegava lá”, contou a ativista que estava no banco do passageiro.

Luisa foi alertada pelo amigo que o local em que estavam era perigoso e ela decidiu abrir o jogo. A ativista contou que deixou o filho pequeno em casa para ir à comunidade salvar um cachorro que estava ferido. “Naquele momento eu acho que salvei minha vida”, disse aos risos. Tentando ajudar, Luisa colocou o homem ferido dentro carro e disse que o levaria para o hospital, mas ele se recusou dizendo que não tinha documento. Para resolver a situação, a ativista foi até a casa do homem pegar o documento, mas quando chegou lá, ele se recusou a ir ao hospital. Luisa foi resgatar o cachorro e, no dia seguinte, ligou para o homem oferecendo uma consulta com uma amiga que é médica. “Ele me disse: ‘Moça, você é realmente muito legal, estou vendo que a senhora tem boa intenção, mas eu preciso te falar, eu sou bandido, não posso ir ao hospital porque sou procurado.” Luisa falou que queria ajudar de alguma forma e o homem disse que tinha um médico que atendia bandido: “Eu paguei [a consulta], mas não sei se isso é ilegal”.