Monark, do podcast ‘Flow’, defende criação de partido nazista; Confederação Israelita rebate

O ex-jogador Zico e o comentarista Antony Curti, que seriam os próximos convidados do programa, cancelaram suas participações

  • Por Jovem Pan
  • 08/02/2022 13h36 - Atualizado em 08/02/2022 13h38
Reprodução/YouTube/Flow Monark no Flow Monark está sendo criticado nas redes sociais após falas sobre nazismo

O apresentador Bruno Aiub, mais conhecido como Monark, declarou durante o “Flow”, podcast que comanda com Igor Coelho, que é a favor da criação de um partido nazista. Na conversa com os deputados federais Tabata Amaral (PSB-SP) e Kim Kataguiri (Podemos-SP), Monark falou que “a esquerda radical tem muito mais espaço que a direita radical” e acrescentou: “As duas tinham que ter espaço, na minha opinião. Eu sou mais louco que todos vocês. Acho que tinha que ter o partido nazista reconhecido pela lei”. Tabata o interrompeu e disse: “Liberdade de expressão termina onde a sua expressão coloca a vida do outro em risco”. O apresentador então questionou: “As pessoas não têm o direito de ser idiotas?”. A deputada respondeu: “Nazismo é contra a população judaica, isso coloca uma população inteira em risco”. A discussão seguiu e Monark falou que tudo deveria ser liberado: “Acho que se o cara quer ser antijudeu, acho que ele tinha o direito de ser”. Tabata discordou e comentou que “a existência de um partido nazista fere a existência da comunidade judaica”. 

Nesta terça-feira, 8, a CONIB (Confederação Israelita do Brasil) emitiu uma nota condenando “de forma veemente a defesa da existência de um partido nazista no Brasil e o ‘direito de ser antijudeu’, feita pelo apresentador Monark”. “O nazismo prega a supremacia racial e o extermínio de grupos que considera ‘inferiores’. Sob a liderança de Hitler, o nazismo comandou uma máquina de extermínio no coração da Europa que matou 6 milhões de judeus inocentes e também homossexuais, ciganos e outras minorias. O discurso de ódio e a defesa do discurso de ódio trazem consequências terríveis para a humanidade, e o nazismo é sua maior evidência histórica”, divulgou o CONIB em seu site oficial. 

Convidados cancelam participações

O ex-jogador Zico, que estaria no podcast nesta terça, cancelou sua participação. O anúncio foi feito pelo seu filho, Junior Coimbra, no Twitter: “Meu pai iria sim participar hoje à tarde do Flow Sports Club, mas ele cancelou assim que assistiu ao vídeo. Não precisou muito…”. Antony Curti, editor-chefe do ProFootball e comentarista de NFL, também não participará mais do programa: “Ante o que aconteceu ontem, não irei ao Flow Sport Club na sexta-feira. Espero que entendam. Obrigado”.

O assunto dominou nas redes sociais e gerou muitas críticas ao apresentador. “Privilégio branco é defender a existência do nazismo em uma plataforma com milhões de seguidores, não perder patrocinadores e não sair algemado dali. Está tudo escancarado, gente”, escreveu a cantora Teresa Cristina.Não podemos esquecer que nazismo não era só antijudeu. Era antinegro e anti-LGBT também. Ele simplesmente está fazendo uma apologia a um partido que pregaria a morte a mais da metade da população brasileira (apesar que o ódio antinegro e anti-indígena já tá em alguns partidos velado)”, comentou a cientista política Preta Ijimú, “Existiu o dia que vcs acharam Monark inteligente ou foi só um surto coletivo mesmo?”, postou o influenciador Lucas Selfie