Bahia demite Mano Menezes e fala em ‘grave acusação de racismo’

O treinador deixa o clube após a derrota por 4 a 3 para o Flamengo, neste domingo, pelo Brasileirão

  • Por Jovem Pan
  • 20/12/2020 22h07 - Atualizado em 20/12/2020 22h46
Reprodução/BahiaMano Menezes foi demitido pelo Bahia

O Bahia informou na noite deste domingo, 20, que Mano Menezes não é mais treinador do time principal. A demissão acontece logo após a equipe ser derrotada por 4 a 3 pelo Flamengo, no Maracanã, em partida válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Tricolor baiano ficou estagnado na 16ª colocação, ficando com a mesma pontuação do Vasco, o clube que abre a zona de rebaixamento para Série B. Em comunicado, o Bahia também afirmou que se pronunciará oficialmente sobre a acusação do meio-campista Gerson, do Flamengo, que afirmou que o colombiano Índio Ramírez, do Tricolor, proferiu injúria racial durante a partida. “O Esporte Clube Bahia comunica que Mano Menezes não é mais o técnico do Esquadrão. Nesta mesma ocasião aproveitamos para anunciar que, em relação à grave acusação de racismo envolvendo o colombiano Índio Ramírez, o clube se posicionará em breve após finalizar a apuração do caso”, escreveu.

Logo após o confronto, Gerson fez a acusação contra o jogador do Bahia e também reclamou de Mano Menezes, que dirigiu o time em 24 jogos, conquistando oito vitórias, dois empates e 14 derrotas, com 36% de aproveitamento. “Quero falar uma coisa: tenho muitos jogos como profissional e nunca vim falar nada porque nunca sofri esse preconceito. Quando tomamos um gol, o Bruno Henrique ia chutar uma bola, o Ramirez reclamou e fui falar com ele, que disse: ‘Cala a boca, negro’. Eu nunca sofri. Mas isso eu não aceito. Eu nunca falei de treinador. O Mano tem que saber respeitar as pessoas. Estou vindo falando em nome de todos os negros do Brasil”, disse. “Mano até falou ‘Ah, agora você é vítima, não é? O Daniel Alves te atropelou e você não falou nada’. Claro, porque teve respeito entre eu e ele. Eu nunca falei de treinador, mas o Mano tem que saber respeitar. Estou vindo falar aqui por mim e por todos os negros do Brasil”, completou o atleta do Flamengo.

Através de suas redes sociais, o Rubro-Negro condenou o caso e exigiu apuração das entidades responsáveis. “O Clube de Regatas do Flamengo repudia veementemente o episódio lamentável ocorrido na partida deste domingo com o atleta Gerson, que foi vítima de injúria racial. O racismo desumaniza, fere e mata. O racismo é inadmissível. Exigimos profunda apuração do fato”, escreveu o Rubro-Negro, que recebeu o apoio de vários outros clubes brasileiros.

Já assessoria de Mano Menezes, por sua vez, se manifestou através do Twitter e garantiu que o treinador reprime qualquer tipo de injúria racial. “Mano condena qualquer ato racismo e reitera que a violência contra quem comete não é caminho para solucionar a questão. E apoia qualquer avaliação e julgamento justo para que o futebol seja sempre referência positiva na nossa sociedade. Crescemos juntos.”