Brasileirão: 11 treinadores foram demitidos em apenas 16 rodadas; confira a lista

Pandemia afeta trabalho dos técnicos, encavalando competições, com pouco tempo para descanso e treinamento, e com jogadores testando positivo para Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2020 18h30 - Atualizado em 16/10/2020 18h31
Alex Silva/Estadão ConteúdoO técnico Vanderlei Luxemburgo é exaltado por jogadores do Palmeiras após título do Campeonato Paulista de 2020

A pandemia atrapalhou o trabalho de todos os clubes de futebol do mundo – não só pela repentina e inesperada paralisação da temporada. O problema maior veio depois: muitas competições encavaladas, um jogo atrás do outro, pouquíssimo tempo para descanso e treinamento, jogadores e mais jogadores testando positivo para a Covid-19 e desfalcando o time. Uma lista enorme de obstáculos que os treinadores estão precisando enfrentar. Mas isso não parece amolecer os corações dos dirigentes brasileiros. Vanderlei Luxemburgo caiu no dia 14 de outubro. Deixou o Palmeiras, um dos favoritos em todas as casas de apostas esportivas online, nove pontos atrás do líder. Foi o 11º técnico da série A do Campeonato Brasileiro demitido em apenas 16 rodadas. O torneio nem chegou na metade e o Goiás já demitiu dois comandantes: Ney Franco e Thiago Larghi. Dorival Júnior foi dispensado depois de quatro derrotas seguidas do Athletico-PR, mas em três delas o treinador não pôde sequer ficar no banco porque havia testado positivo para a Covid-19.

Usando a Premier League, para muitos o melhor torneio de futebol do mundo, para mostrar como os números no Brasil são surpreendentes: em toda a temporada passada, apenas sete técnicos foram dispensados. A discrepância em relação ao Brasileirão seria ainda maior não fosse o Watford, responsável por três demissões. Claro que na Inglaterra os clubes têm mais dinheiro, mais jogadores de qualidade, mas parece óbvio que o bom futebol apresentado por lá também passa pela continuidade dos treinadores no cargo. “Futebol é feito por duas bases. A primeira é estabelecer o conceito de jogo, a segunda é ter tempo para trabalhar”, diz Thiago Larghi, demitido pelo Goiás depois de apenas 38 dias no cargo, e que passou um tempo afastado por ter testado positivo. Está aí uma base que os dirigentes de clubes brasileiros não têm: tempo de trabalho. E, se continuar nesse ritmo, o ano da pandemia será lembrado também como a temporada que teve o maior número de treinadores demitidos no Campeonato Brasileiro. Confira abaixo os 11 técnicos dispensados nesta temporada do Brasileirão:

  1. Vanderlei Luxemburgo (Palmeiras)
  2. Ramon Menezes (Vasco)
  3. Tiago Nunes (Corinthians)
  4. Paulo Autuori (Botafogo)
  5. Thiago Larghi (Goiás)
  6. Roger Machado (Bahia)
  7. Felipe conceição (RB Bragantino)
  8. Ney Franco (Goiás)
  9. Eduardo Barroca (Coritiba)
  10. Dorival Júnior (Atlhetico-PR)
  11. Daniel Paulista (Sport)