Pelé, Cafu, Zico e mais: campanha reúne itens de ex-craques para ajudar pessoas contra a Covid

A iniciativa ‘Olé no Corona’ vai leiloar peças históricas dos campeões mundiais e de outros ídolos do esporte para ajudar brasileiros em situação de vulnerabilidade

  • Por Jovem Pan
  • 19/08/2020 11h14
ReproduçãoCamisa da Seleção Brasileira utilizada por Cafu nas campanhas durante a conquista de 2002

Pelé, Pepe, Zico, Falcão, Rogério Ceni e vários outros ídolos do futebol brasileiro se uniram para participar da campanha “Olé no Corona”, que busca ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade durante a pandemia da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. A partir desta quarta-feira, 19, peças históricas de vários campeões com a seleção brasileira e outros nomes expressivos no cenário nacional serão leiloados através de uma plataforma online. O ex-lateral direito Cafu, bicampeão do mundo com a “Amarelinha”, por exemplo, é um dos patronos da iniciativa. Clique aqui para visualizar todos itens.

“Ser o representante dessa campanha que reúne, pela primeira vez, os cinco capitães campeões do mundo e outros grandes ídolos do esporte é motivo de muito orgulho. Todos doaram itens para um leilão online e vamos conseguir ajudar muita gente, esse é o nosso maior objetivo. O ‘Olé no Corona’ conta com a participação de pessoas com alta representatividade mundial, itens históricos, o envolvimento e apoio de grandes marcas e, acima de tudo, com muita transparência. Espero que outros colegas entrem para o nosso time para que possamos ajudar quem realmente precisa”, disse Cafu.

A campanha já tem mais de 120 itens para o leilão virtual. Entre as peças, estão um pôster autografado por Pelé, de seu último jogo, com data de 1º de outubro de 1977; uma folha intacta de selos comemorativos do milésimo gol do rei do futebol; uma camisa da seleção brasileira replica daquela utilizada por Carlos Alberto Torres durante a década 70; medalha de honra do 56º Congresso da FIFA, em Munique, em 2006, recebida por Pepe e camisas autografadas pelo ídolo do Santos e bicampeão mundial. Idealizador do projeto, Ricardo Setyon, jornalista e professor de mestrado em Gestão no Esporte, afirmou que a campanha deverá ser prorrogada para outros movimentos, não se restringindo ao momentos de pandemia.

“Quando comecei a ver que o mundo, já em fevereiro, começava uma movimentação com muitos jogadores para ajudar os mais necessitados durante a pandemia, aquilo mexeu comigo! Chamei o Cafu e sugeri fazermos algo no Brasil. Ele aceitou na. E depois do Cafu, foi uma avalanche: Dunga, Zico, Pelé e tantos outros. Entidades, jogadores, treinadores, sem distinção alguma, juntos por uma causa. Agora, com a união dos cinco capitães campeões do mundo pela primeira vez, e tanta gente boa no futebol, o objetivo é um só: estabelecer a primeira plataforma que usa o futebol para ajudar mais gente por mais tempo. A dinâmica do nome nos possibilita seguir ajudando mais pessoas e o #olenocorona se transforma, quando necessário, em #olenafome, “olenaviolencia, etc”, disse Ricardo, que trabalhou como coordenador de comunicação da FIFA nas Copas do Mundo de 1998, 2002, 2006 e 2010.

A Kappa, marca italiana especializada na fabricação de roupas e acessórios esportivos, é a patrocinadora oficial da campanha. A empresa doou camisetas e artigos esportivos para o leilão e dez mil máscaras higiênicas para serem doadas à população mais vulnerável da cidade de São Paulo. Os eventos vão ocorrer até fevereiro de 2021, mas podem durar ainda mais com itens que ainda devem ser recolhidos ao longo dos próximos meses.