Casagrande critica ‘patriotismo’ de Neymar e minimiza números pela seleção brasileira

Em texto publicado em sua coluna, o ex-jogador e atual comentarista questionou por que o craque da Canarinho não se revolta com os verdadeiros problemas da população

  • Por Jovem Pan
  • 09/07/2021 16h39 - Atualizado em 09/07/2021 17h08
Montagem sobre fotos/Reprodução/Instagram/wcasagrandejr/EFE/Antonio LacerdaCasagrande criticou o 'patriotismo' de Neymar antes da final da Copa América

Neymar utilizou suas redes sociais na noite da última quinta-feira, 8, para criticar os brasileiros que vão torcer para a Argentina na final da Copa América, marcada para este sábado, 10, no Maracanã. Hoje, no entanto, foi a vez do ex-jogador e atual comentarista Walter Casagrande detonar o “patriotismo” do camisa 10 da seleção. Em texto publicado em sua coluna, o profissional do Grupo Globo questionou por que o craque da Canarinho não se revolta com os verdadeiros problemas na população, citando a alta quantidade de mortos no país pelo novo coronavírus, o atraso na vacinação, os escândalos envolvendo o presidente Jair Bolsonaro e a violência policial.

“Mais de 500 mil mortos no país pela Covid-19, governo negacionista que não comprou a vacina quando deveria para poder salvar vidas, escândalo da ‘rachadinha’ com a família Bolsonaro, violência policial nos morros do Rio matando crianças e muitas pessoas inocentes… Nada disso deixa o ‘patriota’ Neymar bravo. Mas, se falarem que vão torcer contra a Seleção, porque o Messi é o maior ídolo da garotada brasileira, isso irrita muito”, disparou Casagrande. “Dizer que vão torcer para a Argentina porque o Messi merece um título para não ficar injustiçado na história do futebol mundial irritou Neymar. Ficou claro que ele não tem identificação nenhuma com a maioria da torcida brasileira. Aqui os grandes ídolos são Cristiano Ronaldo, Messi, Lewandowski, De Bruyne… Essas coisas irritam demais o nosso ‘falso 10’. Só o Tite mesmo para lhe dar a camisa que já foi de Pelé”, completou.

Casão também minimizou os números de Neymar com a camisa da seleção brasileira. Segundo maior artilheiro da “Amarelinha” com 68 gols, ele está atrás apenas de Pelé, que soma 77. “O ‘Mr. Patriota’ está perto de bater o recorde de gols com a camisa amarelinha e vai deixar o Pelé para trás de longe porque o Brasil só joga contra seleções sul-americanas, da Concacaf, da Ásia e seleções do segundo e terceiro escalão da Europa. Nos gols de Neymar não há nenhum das quartas de final para frente numa Copa do Mundo. O número de seus gols será maior em comparação a qualquer outro jogador brasileiro, mas sem peso”, escreveu o comentarista. “O problema maior é que essa seleção não tem nenhuma identificação com os torcedores brasileiros, e o Neymar já faz alguns anos que se tornou o jogador mais antipático, debochado e desrespeitoso do futebol mundial. Aí fica claro porque muitos torcem sempre para as outras seleções”, complementou.