Chelsea x Barcelona: Final da Champions feminina é histórica e tem presença brasileira

Decisão terá vencedor inédito e pode colocar time inglês um passo de se tornar primeiro campeão da Europa entre os homens e as mulheres; paulistana Giovana Queiroz faz parte do elenco barcelonista

  • Por Flavia Matos
  • 16/05/2021 08h00
Reprodução/ UEFAFinal da Liga dos Campeões 2021 entre Chelsea e Barcelona é inédita

O fim da temporada europeia de futebol se aproxima e, com ele, as decisões de títulos importantes. Neste domingo, às 16h (horário de Brasília), Chelsea e Barcelona disputam a taça da Liga dos Campeões feminina em um confronto histórico antes mesmo de começar. Depois de cinco anos consecutivos de títulos do Lyon, chegou a hora de um vencedor inédito, já que nenhuma das equipes que estão na final conquistaram a orelhuda (apelido carinhoso do cobiçado troféu). Com um detalhe: pela primeira vez, um clube (o Chelsea) poderá ganhar a Champions nas edições feminina e masculina. O duelo também quebra uma sequência de 13 anos com equipes alemãs e francesas chegando à decisão. Só por aí já dá para perceber que o duelo é histórico, mas ainda tem mais. A conquista poderá corar uma ótima geração de atletas “culés” que têm marcado o futebol feminino espanhol.

Em 2019, o Barça foi o primeiro time espanhol a chegar a uma final da competição mais valiosa da Europa, perdendo para o Lyon por 4 a 1. Agora, tem de novo a chance de levantar o caneco e levá-lo ao país ibérico pela primeira vez na história. Pelo lado inglês, o Chelsea se tornou o primeiro clube a chegar às finais da edição feminina e masculina na mesma temporada e pode ampliar o feito para o caso de títulos — no masculino, a decisão é contra o Manchester City, no próximo dia 29. A final será transmitida no Brasil pela ESPN. E para que você fique bem informado sobre as duas equipes, confira abaixo um resumo dos elencos e da trajetória dos times nessa edição da Liga dos Campeões.

Técnica vencedora e jogadora mais cara

Coincidentemente, o primeiro e único título da Liga dos Campeões feminina de um time inglês teve Emma Hayes no banco de reservas. A treinadora de 44 anos comandou o Arsenal na campanha de 2007. Desde 2012 no clube azul de Londres, ela tenta fazer história novamente. Experiente, Hayes já comandou cinco equipes, entre elas o Chicago Red Stars, da NWSL dos Estados Unidos. À frente do Chelsea, conquistou oito títulos: quatro vezes o Campeonato Inglês (sendo o último na atual temporada), duas vezes a Copa da Inglaterra e outras duas vezes a Copa da Liga Inglesa. Conhecedora de seu elenco, ela tem uma peça preciosa na mão: a atacante dinamarquesa Pernille Harder.

Eleita a melhor jogadora do mundo pela Fifa em 2018 e segundo lugar em 2020, Harder detém o posto de transferência mais cara da história do futebol feminino. Ela chegou ao Chelsea no início da atual temporada, vinda do Wolfsburg, da Alemanha, pelo valor de 337 mil euros (R$ 2,1 milhões, na cotação atual). Com oito títulos no currículo, a jogadora de 27 anos marcou 19 gols em 39 partidas nessa temporada, incluindo o gol da classificação contra o Bayern de Munique na semifinal. Apesar de não ser a goleadora do time na competição, é uma das mais perigosas da equipe e dá bastante dor de cabeça para as defensoras adversárias.

Campanha do Chelsea na edição 2020/21 da Champions:

  • Segunda fase*: Benfica 0 x 8 Chelsea
  • Oitavas de final: Chelsea 3 x 1 Atlético de Madrid
  • Quartas de final: Chelsea 5 x 1 Wolfsburg
  • Semifinal: Chelsea 5 x 3 Bayern de Munique
*O Chelsea não disputou a primeira fase; placares somados dos jogos de ida e volta

Time em ascenção tem brasileira no elenco

Nas últimas cinco temporadas, o Barcelona chegou a todas as quartas de final da Champions e disputou a decisão uma vez. Isso prova o quanto a equipe treinada pelo espanhol Lluís Cortés se tornou perigosa e acostumada com a competição, podendo surpreender nessa final. A própria Uefa credita O Barça como “um novo Lyon” depois das vitórias contra o Manchester City e o PSG nas fases de mata-mata. Desde a derrota para o Wolfsburg, em agosto de 2020, o time venceu 35 jogos, empatou dois e perdeu apenas um, tendo marcado 166 gols e sofrido apenas 13.

Para quem se identifica com times estrangeiros que conta com atletas brasileiros, o Barcelona tem uma representante: a atacante Giovana Queiroz, de 17 anos. Natural de São Paulo, ela já foi convocada para a seleção brasileira, mesmo também tendo a nacionalidade espanhola — até atuou nas categorias de base da Fúria. Gio, como é conhecida nas redes sociais, chegou ao clube catalão no início da temporada 2019/20, vinda do rival Madrid CFF (o time feminino do Real Madrid). Ainda muito jovem, ela atua pouco na equipe principal e não balançou as redes desde que chegou. Esperança para o Brasil nas próximas competições, Giovana é uma atleta em quem a comissão técnica da seleção certamente ficará de olho nesse promissor Barcelona.

Campanha do Barcelona edição 2020/21 da Champions:

  • Segunda fase*: Barcelona 8 x 2 PSV
  • Oitavas de final: Fortuna Hjorring 0 x 9 Barcelona
  • Quartas de final: Barcelona 4 x 2 Manchester City
  • Semifinal: Barcelona 3 x 2 Paris Saint-Germain
*O Barcelona não disputou a primeira fase; placares somados dos jogos de ida e volta

Kirby x Hermoso: Duelo de artilheiras

Fran Kirby (à esq.), destaque do Chelsea, e Jenni Hermoso, estrela do Barcelona

A final também terá um embate individual pela artilharia. Francesca Kirby, atacante do Chelsea, e Jenni Hermoso, atleta do Barça, têm os mesmos seis gols na atual edição. Jogadoras de peso em seus clubes, as duas são chances praticamente certas de bola na rede. Recuperada de um problema sério no coração, diagnosticado no início de 2020, a britânica Kirby tem uma média alta de gols na atual temporada: foram 25 marcados em 30 partidas, considerando a Champions, o Campeonato Inglês, a Copa da Inglaterra e a Copa da Liga Inglesa. Jenni apresenta números ainda mais impressionantes. Foram 36 gols em 31 jogos na temporada, juntando Champions, Liga Espanhola, Supercopa da Espanha e o qualificatório para a Eurocopa.