“Tá louco? Quero só apartar”. Em 99, sobrou até para “turma do deixa disso”

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2018 08h00
Caio Guatelli/Estadão ConteúdoPalmeiras e Corinthians protagonizaram uma das maiores pancadarias da história do futebol brasileiro na final do Paulistão de 1999

Há 19 anos, na última decisão estadual entre Corinthians e Palmeiras antes da final que definirá o campeão paulista no próximo domingo, no Allianz Parque, as embaixadinhas de Edílson provocaram uma das pancadarias mais célebres da história do futebol brasileiro.

As agressões entre Paulo Nunes, Edílson, Júnior, Marcelinho Carioca, Zinho, Rincón e Roque Júnior são mais do que conhecidas. O que pouca gente sabe, no entanto, é que, durante a confusão no Morumbi, sobrou até para quem estava em “clima de paz”.

Foi o caso de Amaral.

Bicampeão brasileiro pelo Palmeiras, o volante, então reserva do Corinthians, fez parte da (quase inexistente) “turma do deixa disso” naquele inesquecível 20 de junho de 1999. O problema, no entanto, é que o simpático ex-jogador por pouco não pagou caro por isso.

“Eu estava no banco e, quando começou aquela pancadaria, eu tentei apartar. Mas não tinha como… Um jogador do Palmeiras chegou para me dar um soco, e eu disse: ‘você está louco? Eu já joguei aí, pô! Quero só apartar!'”, relembrou Amaral, aos risos, em entrevista exclusiva a Fausto Favara, para a Rádio Jovem Pan.

Após o jogo, o volante, conhecido por ter um olho mais “caído” que o outro, foi alvo de uma “confusão” feita por uma torcedora. “Quando acabou aquela briga toda, eu estava saindo do estádio, aí veio uma senhorinha e me disse: ‘tadinho, você tomou um soco no olho!’. Eu respondi: ‘não, não, minha senhora, esse meu olho é caído assim mesmo'”.

As risadas só foram possíveis porque, naquele ano, o Corinthians de Amaral foi campeão estadual – algo que, de acordo com o ex-volante, não deve se repetir neste domingo.

“O Palmeiras é o favorito porque joga em casa e já começa a partida como campeão. Se fosse para dar um palpite, eu diria que o Palmeiras vai sair campeão. Não sei quanto vai ser o jogo, mas acho que o Palmeiras leva o título”.

Como venceu o jogo de ida por 1 a 0, no último sábado, em Itaquera, o time alviverde joga por um empate para ser campeão paulista pela primeira vez desde 2008. O Corinthians, por sua vez, precisa de um triunfo por dois gols de diferença para faturar o bi no tempo normal – um triunfo simples, por um gol de frente, leva a decisão aos pênaltis.