Felipe Melo comemora retorno de Robson ao Brasil e agradece Bolsonaro: ‘Foi essencial’

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o meio-campista do Palmeiras celebrou o desfecho do caso e agradeceu o presidente da República, que negociou com as autoridades russas para liberar o ex-motorista brasileiro

  • Por Jovem Pan
  • 06/05/2021 13h31 - Atualizado em 06/05/2021 16h07
Montagem sobre fotos/Reprodução/Jovem Pan/Foto: MAURICIO ALMEIDA/AM PRESS & IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDO/Foto: FELIPE DUEST/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDOFelipe Melo comemorou o retorno de Robson e agradeceu Bolsonaro

O meio-campista Felipe Melo, do Palmeiras, concedeu entrevista exclusiva ao repórter Pedro Marques e falou sobre o retorno de Robson Nascimento de Oliveira, ex-motorista do volante Fernando, atualmente no futebol chinês, que ficou preso na Rússia por cerca de dois anos. À Jovem Pan, o jogador comemorou o desfecho do caso e agradeceu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que negociou com as autoridades russas para liberar o brasileiro. Vale lembrar que foi o atleta palmeirense quem alertou o chefe do Executivo sobre a situação de Robson.

“Fala, galera da Jovem Pan! Estou muito feliz com o desfecho do caso Robson! Muito feliz vê-lo entre abraços, carinhos e amor em seu ambiente familiar. Voltar para a nossa pátria amada, o Brasil. É muito importante! Não posso deixar de agradecer Jesus, que abriu as portas para que o Robson voltasse. Entre tantas pessoas que ajudaram, eu quero agradecer ao nosso presidente Jair Bolsonaro, que dedicou muito do seu tempo para que o Robson retornasse. Sem dúvida nenhuma, foi essencial. O nosso ex-secretário Fabio Wajngarten, que me ajudou a levar ao presidente essa situação. Estamos muito contentes em ver um brasileiro de volta à nossa pátria amada. Um abraço!”, disse Felipe Melo.

O ex-motorista Robson Nascimento de Oliveira foi preso na Rússia em março de 2019 por transportar uma mala com o medicamento Mytedon, legalizado no Brasil, mas proibido no país europeu. Ele alegou que o medicamento era para o sogro de Fernando, seu empregador que atuava no Spartak Moscou, mas a informação não foi confirmada às autoridades pelos familiares do jogador. Liberado pelo governo local apenas no último final de semana, Robson desembarcou no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, na noite da última quarta-feira, 5, e foi recepcionado pelo presidente da República. Questionado se sentia raiva do atleta, que hoje está no Beijing Guoan,da China, Robson disse que ‘não responderia sobre Fernando’.