Caso Robson: Bolsonaro diz que tentará contato com a Rússia para pedir liberação do brasileiro

O ex-motorista do jogador Fernando está preso há mais de 500 dias no país europeu por transportar medicamentos proibidos a pedido do sogro do atleta

  • Por Jovem Pan
  • 06/10/2020 11h48 - Atualizado em 06/10/2020 14h36
Montagem sobre fotos/Alex Silva/Estadão Conteúdo/ReproduçãoO presidente Jair Bolsonaro se manifestou sobre o Caso Robson

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira, 06, que tentará entrar em contato com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, para pedir a liberação de Robson Oliveira, brasileiro que está preso há mais de 500 dias no país europeu por transportar um medicamento proibido a pedido do sogro do jogador Fernando. Robson era o motorista do atleta, que, na época, atuava no Spartak Moscou – hoje em dia, ele joga pelo Beijing Guoan, da China.

“A justiça russa é bastante rígida, mas um perdão do Governo local será buscado por nós. Entramos no caso e o Brasil buscará, diplomaticamente, o retorno de Robson ao Brasil”, escreveu Bolsonaro nas redes sociais, informando que vai se reunir com Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores, para discutir o assunto. “Hoje serei orientado pelo ministro Ernesto Araújo para um possível encontro com o presidente Vladimir Putin”, afirmou.

Entenda o caso

Quando Fernando, jogador com passagens por Grêmio e Shakhtar Donetsk, atuava pelo Spartak Moscou, Robson foi preso ao desembarcar na Rússia portando um remédio proibido no país, o Mytedom 10mg (cloridrato de metadona). O motorista levava o medicamento para utilização do sogro do meio-campista. Ele está detido há cerca de um ano e seis meses, será julgado por tentativa de tráfico e pode pegar de 15 a 25 anos de prisão. Em recente postagem nas redes sociais, Fernando afirmou que o seu posicionamento no caso tem sido distorcido e garante que tem agido para ajudar o ex-funcionário na esfera jurídica.

“É mentira quando dizem que eu não estou fazendo nada para ajudar o Robson. Desde o começo do processo eu arco com os custos do advogado dele na Rússia e ainda pago para que o advogado brasileiro possa viajar ao país, mesmo não podendo exercer sua função na esfera internacional. Além disso, mandamos dinheiro para o Robson na prisão para que ele compre os itens necessários no seu dia a dia”, disse. “Mas a questão é extremamente complexa e precisa de um envolvimento, de uma força maior, no caso a do governo brasileiro. Tentei entrar em contato diretamente com deputados, senadores, mas não obtive êxito. Por isso, convido vocês a realizarmos também um movimento para entrar nas redes sociais do presidente Bolsonaro e de outras autoridades brasileiras pedindo para que elas intervenham efetivamente no caso do Robson”, acrescentou. “Eu também sou parte do ‘Justiça pelo Róbson’. Eu também quero que ele saia de lá o mais rápido possível. Vamos canalizar nossas energias para fazer essa questão ser tratada pelo congresso, o que é a única coisa que realmente pode ajudar a questão a evoluir de forma positiva”, finalizou.