Itália vence a Bélgica em jogo emocionante e vai enfrentar a Espanha na semi da Eurocopa

Barella e Insigne marcaram para a ‘Azzurra’, enquanto Romelu Lukaku descontou para os ‘Diabos Vermelhos’ ainda no primeiro tempo

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2021 17h56 - Atualizado em 02/07/2021 18h22
EFE/EPA/Philipp GuellandInsigne marcou um golaço para a Itália contra a Bélgica

A Itália conseguiu a sua vaga na semifinal da Eurocopa nesta sexta-feira, 2, ao bater a Bélgica por 2 a 1 na Allianz Arena, na cidade de Munique, na Alemanha. Barella e Insigne marcaram para a “Azzurra”, enquanto Romelu Lukaku descontou para os “Diabos Vermelhos” ainda no primeiro tempo. Agora, a seleção italiana irá enfrentar a Espanha, que despachou a Suíça mais cedo nas cobranças de pênaltis. O confronto, que vale a presença na decisão, está marcado para a próxima terça-feira, 6, no Estádio Wembley, em Londres na Inglaterra.

O primeiro tempo na Allianz Arena foi emocionante. A Bélgica começou melhor, sufocou a equipe treinada por Roberto Mancini e criou chances com as suas principais estrelas, o atacante Romelu Lukaku e o meio-campista Kevin De Bruyne. A Itália, por outro lado, mostrou muita disposição física, equilibrou o duelo e abriu o placar aos 30 minutos com Barella, que aproveitou saída errada de Vertonghen e recebeu passe de Verratti para marcar — antes, a Azzurra já tinha visto o VAR anular um gol de Bonucci por impedimento. Animada com o placar, a seleção italiana ampliou com uma pintura de Insigne, que recebeu na esquerda e acertou o ângulo de Courtois, aos 43. Já nos acréscimos, o atacante Doku, que entrou no time belga para substituir o lesionado Eden Hazard, foi derrubado dentro da área. Na cobrança, Lukaku bateu no centro do gol para descontar.

A segunda etapa foi do começo ao fim com a mesma rotação, mantendo a qualidade da partida. Precisando do gol de empate, a Bélgica explorou a velocidade de Doku pela esquerda e contou com um participativo Lukaku para incomodar os italianos. O problema é que o centroavante acabou desperdiçando duas boas oportunidades — em uma, ele foi bloqueado por Spinazzola em cima da linha. Querendo liquidar a classificação, a Itália arriscou algumas investidas, tendo Insigne como principal válvula de escape. Já nos últimos minutos, a equipe de Roberto Mancini recuou e administrou o resultado até o apito final.