Liverpool sofre, mas vence o Villarreal de novo e vai à final da Liga dos Campeões 

Após ver a vantagem construída no jogo de ida acabar, o time de Klopp conseguiu a virada com Fabinho, Luis Díaz e Sadio Mané

  • Por Jovem Pan
  • 03/05/2022 17h51 - Atualizado em 03/05/2022 18h00
EFE/Domenech Castelló Mané, Dìaz e Fabinho marcaram para o Liverpool sobre o Villarreal, na semifinal da Liga dos Campeões Mané, Dìaz e Fabinho marcaram para o Liverpool sobre o Villarreal, na semifinal da Liga dos Campeões

O Liverpool encontrou muitas dificuldades, mas venceu o Villarreal de novo e avançou à final da Liga dos Campeões 2021/2022, nesta terça-feira, 3. Após ganhar a primeira partida por 2 a 0, o time de Jurgen Klopp viu a vantagem acabar na etapa inicial, quando Dia e Coquelin marcaram para o Submarino Amarelo, no Estádio La Cerámica. No segundo tempo, no entanto, os Reds melhoraram e conseguiram a virada com Fabinho, Luis Díaz e Sadio Mané. Desta forma, a equipe britânica chega em sua décima final de “Champions League”, buscando a sétima taça do torneio da Uefa. A grande decisão está marcada para o dia 28 de maio, no Stade de France, em Paris. Já o outro finalista sairá do duelo entre Real Madrid x Manchester City, que acontece amanhã, no Santiago Bernabéu – na ida, os ingleses ganharam por 4 a 3.

Empurrado pelo torcedor, que lotou o La Cerámica, o Villarreal adotou um ritmo avassalador no primeiro tempo, fazendo uma blitz na saída de bola do Liverpool e forçando o erro do adversário. Mais do que isso, o Submarino Amarelo também foi letal quando ficou na frente de Alisson. Logo aos 2 minutos, Estupiñán levantou na segunda trave para Capoue tocar para trás. Dia, livre de marcação, completou para as redes. Sem mostrar o seu costumeiro futebol de alto nível, os Reds só tiveram uma oportunidade, com Thiago Alcântara, que chutou de fora da área. Já aos quarenta minutos, Capoue se livrou bem do marcador e levantou na medida para Coquelin cabecear, deixando tudo igual no placar agregado e “incendiando” o estádio.

Precisando dar um “choque” em seu time, Jurgen Klopp promoveu uma substituição no intervalo, colocando Luiz Díaz na vaga de Diogo Jota. Ligado, o atacante colombiano deu trabalho para a defesa do Villarreal e foi fundamental na recuperação do Liverpool, que diminuiu aos 16 minutos com Fabinho. O volante brasileiro tabelou com Mohamed Salah e bateu por baixo das pernas de Rulli. Cinco minutos depois, Alexander-Arnold levantou na medida para Díaz, que completou de cabeça para as redes. Desestruturado e abalado com a recuperação dos visitantes, os espanhóis viram a chance de ir à final inédita ruir de vez aos 28 minutos – Rulli saiu mal do gol, foi driblado por Mané e viu o adversário anotar o terceiro. Já no fim, os mandantes ainda ficaram com um a menos, graças a expulsão de Capoue, pelo segundo amarelo. A decepção, todavia, não foi capaz de calar da torcida do Villarreal, que aplaudiu os atletas depois do apito final.