Torcedores sul-coreanos pedem indenização por CR7 não jogar amistoso

  • Por Jovem Pan
  • 30/07/2019 15h08
Paolo Magni/EFECristiano Ronaldo, atacante da Juventus

A torcida que acompanhou o empate da Juventus em 3 a 3 com o K-League Team, uma seleção com jogadores de todo o mundo que atuam no futebol sul-coreano, em Seul, na última sexta-feira (26), ficou revoltada por não ver Cristiano Ronaldo em campo. Por isso, alguns torcedores estão recorrendo aos tribunais para serem indenizados em até R$ 3,4 mil reais.

Em contrato, a The Fasta, empresa organizadora do evento, prometeu que o astro português estivesse em campo por, no mínimo, 45 minutos. O treinador da “Velha Senhora”, no entanto, deixou Cristiano Ronaldo no banco durante toda a partida e, após o confronto, justificou a ausência devido a fadiga muscular.

Assim, através do portal Naver, um grupo de torcedores se mobilizou para entrar na Justiça e pedir indenização contra a empresa que promoveu o jogo. Dois membro encontraram o advogado Kim Min-ki e entraram com uma ação civil.

“Muitos compraram ingressos para ver Ronaldo. A The Fasta divulgou que a empresa tinha um acordo com a Juventus que estipulava que Ronaldo jogaria ao menos 45 minutos e que Ronaldo iria a um evento de assinatura de autógrafos com torcedores”, disse Kim à Reuters.

Kim revelou que busca uma indenização de R$ 3,4 mil reais, sendo 70 mil wons (R$ 224) por ingresso, 1 mil wons pela taxa de comissão de ingressos (R$ 3,2)  e 1 milhão de wons (R$ 3,2 mil) para cada torcedor pela “angústia mental”.

“Normalmente, em tais casos, os queixosos serão reembolsados ​​pelo preço dos ingressos, mas eu coloquei isso sob um caso especial, já que a empresa, por meio de propaganda enganosa, aproveitou os fãs da estrela do futebol”, explicou.

A programação da Juventus também tinha uma série de autógrafos, que precisou ser cancelada após atraso no voo da delegação.