Internacional leva virada da Universidad Católica, mas se classifica na Libertadores

Colorado terminou em segundo no Grupo E, atrás do rival Grêmio que empatou com o América de Cali nesta quinta-feira, 22

  • Por Jovem Pan
  • 23/10/2020 00h00
Reprodução/ TwitterInternacional levou a virada, mas conseguiu a classificação

Em um jogo intenso e bem disputado, o Internacional se classificou às oitavas de final da Copa Libertadores, mesmo com a derrota por 2 a 1 para a Universidad Católica, em Santiago, pela rodada final do Grupo E, nesta quinta-feira, 22. E voltará ao país com alguma sensação de frustração, não só pela derrota, mas também porque poderia ter ultrapassado o rival Grêmio e garantido o primeiro lugar da chave, mas acabou sendo batido muito em função de falhas da sua defesa. O Inter ficou com oito pontos, contra 11 do tricolor gaúcho, que empatou por 1 a 1 o América de Cali por 1 a 0, o quarto, com seis e eliminado. Já a Católica, com sete, vai disputar a Sul-Americana, por ter sido a terceira colocada da chave.

Tendo o foco divido com o Brasileirão, no qual emplacou série de quatro vitórias para assumir a liderança, o Inter atuou com um time misto. Mas chegou a dominar o adversário e abriu o placar. Só que pecou por ter sido vazado na sequência, depois de erro de Musto. E não conseguiu transformar a sua pressão na parte final do segundo tempo em chances de gol, ainda sendo vazado após falha de Cuesta. O adversário do Inter nas oitavas de final da Libertadores será um dos oito vencedores de grupo da Libertadores, sendo determinado através de sorteio, marcado para esta sexta-feira. Mas já é certo que Cuesta e Rodinei, suspensos, não vão atuar pois receberam o terceiro cartão amarelo na derrota, que encerrou série invicta de sete jogos da equipe.

Como foi o jogo

De olho no duelo de domingo com o Flamengo, decisivo para o time manter a liderança do Brasileirão, o técnico Eduardo Coudet escalou o Inter cheio de reservas, especialmente do meio-campo para frente. O time até levou alguns sustos no começo, mas logo exibiu superioridade, mesmo sem a sua formação principal. O time tocava bem a bola, quase sempre passando pelos pés de D’Alessandro e Nonato. Porém, faltava ser mais incisivo para criar chances de gol, tanto que a primeira surgiu em chute do argentino, aos 17 minutos. É verdade que Pinares respondeu na sequência, acertando o travessão, mas logo o time gaúcho abriu o placar. E foi com um pênalti convertido por D’Alessandro, após Pinares cortar cruzamento com o braço, aos 23.

O gol deveria dar tranquilidade do Inter, mas a resposta da Católica foi imediata. No minuto seguinte, forçou erro de Musto e Zampedri aproveitou. Avançou até finalizar, com a bola desviando em Cuesta, encobrindo Marcelo Lomba. E a igualdade pareceu desarticular o Inter por alguns minutos. O time só não sofreu a virada porque Lomba fez difícil defesa em bela bicicleta de Puch para o time chileno, que terminou a etapa inicial tocando melhor a bola. A retomada do segundo tempo repetiu o ritmo do primeiro, com vontade dos dois lados e até mesmo algumas jogadas ríspidas. Com a intenção de buscar a vitória, Coudet colocou Edenilson, Marcos Guilherme e Thiago Galhardo em campo, tentando tornar a equipe mais intensa no campo de ataque.

O Inter também adiantou o seu posicionamento e perdeu uma chance com Yuri Alberto, com Huerta salvando em cima da linha, mas pouco criava. E também correu riscos, como quando Zampedri não conseguiu finalizar cara a cara com Lomba. Aos 43, não houve jeito. Cuesta tentou proteger a bola, mas, pressionado, caiu. Moledo ainda cortou o cruzamento de Puch, mas Zampedri, sozinho e de bicicleta, mandou para as redes.

*Com informações do Estadão Conteúdo