Libertadores: Palmeiras e Flamengo têm lembranças opostas do Estádio Centenário

Do lado alviverde, o sentimento é de amargura por dois vices continentais na capital uruguaia; Rubro-Negro, por sua vez, conquistou a América do Sul pela primeira vez justamente na casa da Celeste

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2021 10h00
Reprodução/Twitter/@TheLibertadoresEstádio Centenário receberá a final da Libertadores entre Palmeiras e Flamengo

O Centenário, mítico estádio uruguaio e sede da primeira final da Copa do Mundo, receberá a decisão da Copa Libertadores da América 2021 entre Palmeiras e Flamengo, neste sábado, 27, a partir das 17 horas (de Brasília). Histórico, o campo localizado na cidade de Montevidéu traz lembranças distintas para os torcedores das duas equipes. Do lado alviverde, o sentimento é de amargura por dois vices continentais na capital uruguaia. Já o Rubro-Negro, por sua vez, conquistou a América do Sul pela primeira vez justamente na casa da seleção celeste.

Primeiro time brasileiro a decidir a Libertadores, o Palmeiras passou por Independiente (Argentina) e Santa Fé (Colômbia) antes de encarar o Peñarol (Uruguai) na final da edição de 1961. No primeiro jogo, no Centenário, o time de Djalma Santos, Julinho Botelho e companhia foi derrotado por 1 a 0. Na volta, em São Paulo, o empate em 1 a 1 deu a taça aos uruguaios. Sete anos depois, o Alviverde retornou a uma decisão do torneio, desta vez com o Estudiantes (Argentina). Após ser derrotado por 2 a 1 no território rival, o Verdão ganhou por 3 a 1 na capital paulista. Para o desempate da final de 1968, o estádio uruguaio foi escolhido como sede neutra. Lá, com direito a invasão de torcedores “hermanos” e um jogo brutal em campo, a equipe de La Plata fez 2 a 0 sobre o time de Ademir da Guia.

Se o Palmeiras tenta acabar com a maldição em finais de Libertadores do estádio, o Flamengo mira o segundo título continental no local. Em 1981, os rubro-negros decidiram o campeonato diante do Cobreloa (Chile), vencendo no Maracanã por 2 a 1, mas sendo derrotado por 1 a 0 no Estádio Nacional de Santiago. Na partida de desempate, a casa da seleção uruguaia novamente foi escolhida. Com a bola rolando, Zico brilhou ao abrir o placar aos 13 minutos, recebendo passe de Andrade e mandando para as redes. A partir daí, o jogo virou uma batalha, com entradas duras e expulsões. Armando Alarcón, do Cobreloa, foi expulso primeiro, seguido de Andrade. Na segunda etapa, já aos 39 minutos, o Galinho de Quintino sacramentou a conquista, fazendo o segundo em cobrança de falta perfeita. Com o resultado definido, mais dois chilenos receberam vermelho por dar pontapés nos brasileiros. Anselmo revidou e também deixou a partida mais cedo.

Além de Palmeiras e Flamengo, outros times brasileiros também já fizeram finais de Libertadores no mítico estádio uruguaio. Cruzeiro (1977) e Internacional (1980), assim como o Palestra, voltaram do país vizinho sem a taça. Já Grêmio (1983) e Santos (2011) não fizeram os jogos decisivos no Centenário, mas conseguiram títulos após empates contra o Peñarol. O Tricolor gaúcho empatou em 1 a 1, ganhando a volta por 2 a 1, com gols de Caio e César. Já o Peixe ficou no 0 a 0 fora de casa e fez 2 a 1 no Pacaembu, com tentos de Neymar e Danilo.