Mudança estúpida? Por que a ‘bizarra’ regra sugerida por Belletti ‘mataria’ o futebol

O ex-lateral-direito polemizou ao propor uma mudança um tanto quanto drástica na regra do futebol; teve até quem disse que aquela havia sido a “maior estupidez” que já leu na vida

  • Por Jovem Pan
  • 16/07/2020 16h26 - Atualizado em 16/07/2020 17h03
Divulgação/BarcelonaO ex-lateral-direito Juliano Belletti é embaixador global do Barcelona

Pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira e autor do gol que deu o segundo título europeu ao Barcelona, o ex-lateral-direito Juliano Belletti se tornou um dos assuntos mais comentados do Twitter na última quarta-feira, 15. E o motivo não tem nenhuma relação com o que o hoje embaixador do clube catalão já fez dentro de campo. O ex-jogador voltou à tona por causa de uma polêmica postagem feita nas redes sociais. Belletti, que, só no Twitter, acumula mais de 900 mil seguidores, marcou a conta da Fifa e sugeriu uma mudança de regra um tanto quanto bizarra para o futebol.

“O maior momento do futebol é o gol, e são raros (1, 2… 3 gols por jogo já é muito). O momento mais visto do jogo é uma cobrança de pênalti. Sugiro a criação de uma nova regra para ter mais pênaltis durante o jogo. Que tal a cada 4 escanteios, no 4º, é pênalti?!”, escreveu o ex-lateral-direito. O tuíte recebeu mais de 4 mil compartilhamentos, é verdade, mas a maior parte deles se propunha a tirar sarro da “proposta” feita pelo paranaense de 44 anos. Teve até quem disse que aquela havia sido a “maior estupidez” que já leu na vida. Nos grupos de WhatsApp, prints da postagem também circularam aos montes, com pessoas fazendo piadas sobre a sugestão de Belletti.

Bruno Prado, comentarista do Grupo Jovem Pan, disse que, se entrasse em prática, a nova regra proposta pelo ex-jogador prejudicaria – e muito – o modo como se pratica o esporte mais popular do planeta, a ponto de “desfigurá-lo”. Atletas poderiam querer “cavar” escanteios, chutando a bola contra rivais, e o jogo teria um número elevadíssimo de paralisações, quebrando o ritmo das partidas. “Eu não sou daqueles radicais, que não aceita nenhuma mudança na regra, mas essa em si mudaria totalmente a estrutura do jogo. Aí, eu já sou contra. Acho que você tem que fazer ajustes na regra, mudar coisas que você pode melhorar, e não alterar radicalmente. Eu, por exemplo, sou a favor do uso do VAR, da tecnologia. Mas dessa mudança, não. Essa modificaria demais, forçaria algo que não existe. Poderia incentivar a malandragem… Os jogadores chutariam a bola em cima de adversários só para ganhar escanteios e, consequentemente, pênaltis. Então, não seria uma boa mudança para o futebol. Distorceria muito a dinâmica do jogo”, opinou.

Ainda segundo o comentarista, incentivar o aumento do número de gols por jogo pode provocar justamente o efeito contrário ao pretendido por Belletti. “O futebol é diferente do basquete, por exemplo, que tem uma pontuação alta. E isso não é necessariamente ruim. A escassez do grande momento, na minha visão, é, inclusive, uma das coisas que transformam o futebol em uma coisa tão grande. O gol só é algo tão enorme para quem acompanha futebol porque é muito difícil de ser anotado. É por isso que existem gols históricos, que são lembrados até hoje e que, para muitas pessoas, são maiores até do que partidas ou campeonatos”, finalizou.

Confira, abaixo, a repercussão da sugestão de Belletti nas redes sociais: