Abel Ferreira chora, se declara e cita Luxemburgo após título do Palmeiras; assista

Treinador português falou sobre a saudade que sente das filhas e reconheceu o trabalho de seu antecessor

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2021 22h58
EFE/ Ricardo MoraesAbel Ferreira comemorando o título do Palmeiras na Libertadores

Abel Ferreira ficou muito emocionado com a conquista do Palmeiras na Copa Libertadores da América. Logo após a vitória contra o Santos, na entrevista coletiva, o treinador português chorou de emoção, afirmou que “passou um filme na cabeça” e revelou a saudades que tem das filhas, que ficou em Portugal com a esposa devido à pandemia da Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. “Ninguém ganha sozinho no futebol. Ninguém ganha sozinho. Os jogadores falam comigo, falam com psicólogos, falam com pessoal da cozinha. Era a minha família, vivi lá. Sou muito melhor treinador, mas sou pior tio, pior irmão, pior pai, pior marido, pois deixei minha família lá”, comentou. Vocês não sabem o quanto chorei sozinho de saudade. Chorei muito e saí do campo para ninguém ver o quanto estava chorando. Adoro minhas filhas e esposa e atravessei o Atlântico antes de uma coisa acontece”, acrescentou.

Quanto ao título, Abel Ferreira agradeceu a entrega dos jogadores do Palmeiras e citou até Vanderlei Luxemburgo, seu antecessor que começou a campanha na Libertadores 2020. Sinceramente, a palavra que passa na cabeça é obrigado. Primeiro lugar é agradecer a todos que treinei e de forma especial e carinhosa aos jogadores do Palmeiras. Não há bons treinadores sem bons jogadores. Quero dizer também que essa caminhada foi o mister Vanderlei Luxemburgo e ele tem um trabalho feito nessa competição. Peguei e o Palmeiras estava em todas as competições. De forma muito sentido, a estrutura do Palmeiras me contratou, não tinha títulos no profissional. Mas há coisas que valem mais do que título”, afirmou.

” Minha maior alegria foi ver meus jogadores felizes, todo mundo feliz, saber que todos vão receber um salário extra. Saber que nos apoiaram no CT também estão felizes. Não poderia de deixar de falar do Santos, foi um grande time, os jogadores deles mereciam. Foram espetaculares, mas fruto da equipe que é organizada também. Sei que vão querer absorver tudo o que o treinador disse. É dizer que a palavra é obrigado”, completou.

Agora, o treinador português espera festejar bastante o título da Libertadores até a disputa do Mundial de Clubes, já na próxima semana, no Catar. “Primeiro tenho que agradecer ao Brasil. Primeiro de forma especial ao Palmeiras e à família Palmeiras. Toda regra há uma exceção, e vou permitir quebrar a regra das 24h. Muita coisa está para trilhar, subimos a montanha e estamos a saborear a paisagem. É bom, mas há muitas outras coisas a se conquistar, não se pode distrair com a paisagem”, comentou.