Abel Ferreira explica gesto após Palmeiras x Atlético-MG: ‘Foi para meu vizinho ficar calado’

Técnico esclareceu que o sinal não foi para o adversário e aproveitou a coletiva de imprensa para enfatizar que não deixará o comando do Verdão até o fim de 2021

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2021 10h55 - Atualizado em 29/09/2021 16h53
DOUG PATRÍCIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO - 28/09/2021Abel Ferreira elogiou a campanha que o Palmeiras vem fazendo durante a Libertadores

O treinador Abel Ferreira explicou na noite de terça-feira, 29, o gesto de silêncio que fez para as câmeras após a final da partida entre Palmeiras e Atlético Mineiro na semifinal da Copa Libertadores 2021. Em entrevista coletiva, o técnico esclareceu que o gesto não foi para o adversário e aproveitou para tecer elogios à performance do Galo. No início da sua fala, no entanto, Abel focou em seus jogadores e deu um recado para aqueles que pedem a sua demissão. “Gostaria que as minhas primeiras palavras fossem para os meus jogadores. Eles com quem trabalho, eles com quem eu sofro e neles que confio. Já disse para eles que, até o final do ano, não os abandonava. Recusei três propostas porque havia trabalho a fazer”, iniciou Abel Ferreira. “A segunda palavra é para o nosso grande rival e adversário, Atlético-MG. Tem um grande treinador, uma grande equipe”, elogiou o técnico. Em seguida, explicou o seu gesto polêmico. “Quando apontei pra câmera, não foi pra nenhum jogador ou o treinador. É que tenho um vizinho no prédio que é um chato. Foi diretamente pra ele, para estar calado. Porque o que se passa em minha casa, só eu que sei. Quem trabalha dentro do meu CT sou eu e meus jogadores. Para meu vizinho, xiu”, avisou o treinador.

Abel Ferreira seguiu a coletiva defendendo sua atuação à frente do Palmeiras. “Eu estudei 10 anos para ser treinador, eu perdi muito. Muitas derrotas fizeram de mim um treinador melhor. Eu renunciei estar com a minha família, que é a coisa que eu mais amo”, ressaltou o técnico, que, apesar de enaltecer o trabalho de Cuca, afirmou que a vitória nesta terça-feira veio para a equipe que foi “mais inteligente e mais organizada”. “O que nós vimos aqui foi uma equipe com mentalidade vencedora”, acrescentou. “É isso que faz a diferença entre um homem e um rato. É acreditar no seu trabalho, na disciplina. Eu sou português com muito orgulho, europeu com muito orgulho. Temos um dos maiores treinadores do mundo, o [José] Mourinho. Temos um dos melhores árbitros do mundo, o Pedro Proença. Temos um dos presidentes mais premiados do mundo. E temos um dos melhores jogadores do mundo, o Cristiano Ronaldo. Quando vocês olham o Ronaldo, o que vocês veem? Vocês veem a força mental terrível, uma disciplina de trabalho insaciável em querer fazer mais e melhor. É essa mentalidade portuguesa e europeia. E disso eu não vou abdicar nunca”, apontou Abel, que celebrou a campanha “impecável, limpa, sem VAR, sem confusões e com mérito” do Verdão.