Abel Ferreira pede paciência com reestreia de Dudu no Palmeiras: ‘O futebol é físico’

Em entrevista coletiva, o treinador comemorou a vitória sobre o Grêmio, mas também precisou responder sobre o atacante, que já está registrado no Boletim Informativo Diário da CBF e autorizado a jogar

  • Por Jovem Pan
  • 08/07/2021 12h40 - Atualizado em 08/07/2021 16h18
Reprodução/Twitter/@PalmeirasDudu durante treinamento no Palmeiras

O Palmeiras chegou à liderança do Campeonato Brasileiro na última quarta-feira, 7, ao vencer o Grêmio por 2 a 0, no Allianz Parque, em confronto válido pela décima rodada. Em entrevista coletiva após o jogo, Abel Ferreira comemorou o resultado, mas também precisou responder sobre Dudu, que já está registrado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e autorizado a jogar pelo Verdão. O técnico, no entanto, pediu paciência aos torcedores, já que o atacante ainda não tem condições de atuar — vale lembrar que ele e o zagueiro Pedrão, outro que voltou de empréstimo, não entram em campo desde maio.

“Sei que temos uma torcida muito exigente. Mas ninguém lá em casa quer ganhar mais do que eu. Podem querer ganhar tanto quanto eu. Quando os jogadores estiverem preparados, a minha função é exatamente essa. Sou treinador do Palmeiras, sou eu que escolho aqueles que eu acho que estão preparados em cada jogo a dar a melhor resposta. Neste momento, nem Dudu nem Pedrão têm condições físicas para responder às expectativas que vocês têm. Para render dentro de campo tem de estar fisicamente bem. O futebol, antes de técnico, é físico. Se não fosse físico eu ainda jogava”, disse Abel Ferreira.

Ainda falando do ídolo palmeirense, Abel Ferreira despistou sobre como a entrada do jogador no time modificaria o esquema tático. “O Dudu pode jogar em todas as posições, na 11, na 10, na 7 ou ao meu lado, no banco. É um jogador com muita qualidade, que regressa com muita vontade, foi um jogador que casou há pouco tempo, foi fazer sua lua de mel. Agora vamos recuperá-lo e vamos ter de esperar jogo a jogo e ver a relação dos convocados e ver quando ele estará pronto para jogar”, finalizou o técnico, que volta a comandar o Palmeiras no clássico contra o Santos, marcado para este sábado, 16h30 (de Brasília), no Allianz Parque.