‘Detesto quando desrespeitam’, diz Abel Ferreira sobre adversários do Palmeiras

Técnico foi questionado sobre o baixo nível técnicos das equipes que o Palmeiras enfrentou nesta Copa Libertadores

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2020 01h17
ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDOAbel Ferreira durante a partida contra o Libertad, do Paraguai

O Palmeiras se garantiu na semifinal da Copa Libertadores sem ter enfrentado sequer um campeão do torneio até agora: dividiu um grupo com Tigre, Guaraní do Paraguai e Bolívar. Nas oitavas passou pelo Delfín e eliminou o Libertad nesta terça-feira, pelas quartas de final. Questionado sobre a suposta fragilidade dos adversários, o técnico Abel Ferreira valorizou os rivais. A equipe está invicta nos dez jogos que disputou na competição. “Não concordo em passar a imagem que nossos adversários são fracos. Temos que perceber que, se os adversários chegaram, é porque têm qualidade. Detesto quando se desrespeita um adversário. Temos que respeitar 100% todos os adversários. Como o Palmeiras que somos, assumimos a responsabilidade de entrar para ganhar. Mas não que os adversários são fáceis. Buscamos o 1 a 1 lá (contra o Libertad), um jogo muito difícil, uma equipe que joga muito bem. Nossa equipe foi competente e séria contra o adversário que tem todo o mérito por ter chegado a essa etapa da competição. Não vou entrar nessa onda. Estamos focados no que queremos, há muito caminho para seguir”, afirmou o treinador português.

Na semifinal, o Palmeiras terá pela frente o River Plate ou o Nacional do Uruguai, que se enfrentam nesta quinta-feira. O time argentino venceu o duelo de ida por 2 a 0 em casa e tem a vantagem para o confronto decisivo no Uruguai. O River Plate já conquistou a Libertadores quatro vezes, e o Nacional é tricampeão do torneio. Abel Ferreira também não “prometeu” títulos para a torcida. “Se nem o Guardiola (do Manchester City) e o Klopp (do Liverpool) prometem títulos, eu não posso prometer. A única coisa que eu e meus jogadores podemos prometer é lutar, é ser uma equipe sólida, lutar para vencer”, afirmou. “Para ganhar títulos, é preciso ter a melhor defesa. As pessoas muitas vezes falam como nós atacamos, mas eu falo da forma como nos defendemos. Começamos a atacar quando nos defendemos. Temos que correr para frente a 100 e correr para trás a 200. Assim, certamente estaremos mais próximos de ganhar”, acrescentou.

O treinador rechaçou comparações com outros times. “Temos uma forma de trabalhar séria, não nos comparamos com ninguém, nosso grande adversário está dentro de nós. Falo para os jogadores para não se compararem com equipe A ou B ou com jogador A ou B. Temos que trabalhar para sermos individualmente melhores. Assim, vamos melhorar o rendimento da equipe. Depois, tem nossos adversários que vamos avaliar, todos eles têm o mesmo sonho que nós, com bons jogadores e bons treinadores. A competição é muito grande”, disse Abel.

*Com informações do Estadão Conteúdo