Prefeitura de SP dá aval para restauração do Pacaembu com a demolição do tobogã

Último entrave para o começo da restauração foi uma ação movida pela associação de moradores vizinhos, que acabou sendo derrubada na semana passada

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2021 12h29 - Atualizado em 29/06/2021 17h32
Luis Moura/Estadão Conteúdo Estádio Municipal de São Paulo - Pacaembu A Prefeitura de São Paulo deu aval para a reforma do Pacaembu

A Prefeitura de São Paulo emitiu na manhã desta terça-feira, 29, um alvará permitindo o início das obras do complexo esportivo Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu. A liberação, que foi publicada no Diário Oficial da União, acontece dois anos depois do acordo entre a gestão municipal e a concessionária Allegra Pacaembu. O último entrave para o começo da restauração foi uma ação movida pela associação de moradores vizinhos, que acabou sendo derrubada na semana passada. Nela, o grupo alegava que o espaço é tombado e não poderia ser derrubado. A reforma começa hoje com a demolição do tobogã, espaço da arquibancada do estádio localizado atrás de um dos gols.

A demolição do tobogã levará de três a quatro meses, tendo quase todo concreto sendo reaproveitado. Em seu lugar, a Concessionária Allegra Pacaembu construirá “um edifício multifuncional, com espaços pensados para proporcionar experiências únicas, diferente do que São Paulo conhece”, de acordo com texto divulgado à pela concessionária. O prédio deverá ter cafés, restaurantes, lojas, escritórios e um centro de convenções e eventos. O consórcio administrará o Pacaembu pelos próximos 35 anos e prevê investir cerca de R$ 400 milhões no complexo.