Richarlison diz que Brasil vai provocar a Argentina: ‘A gente dá conta do recado’

Sem querer comentar o interesse do Real Madrid, o atacante que atua no Everton, da Inglaterra, também falou sobre a iniciativa de leiloar sua chuteira e usar o dinheiro para a pesquisa de vacinas contra a Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 08/07/2021 12h09
Reprodução/CBFRicharlison durante partida contra a Argentina

Titular da seleção brasileira, Richarlison demonstrou personalidade em entrevista coletiva concedida na manhã desta quinta-feira, 8, na antevéspera da final da Copa América, diante da Argentina, no Maracanã. Questionado sobre provocações no principal clássico da América do Sul, o atacante afirmou que a equipe de Tite irá cutucar os argentinos na decisão marcada para este sábado, 10. “Provocação de lá, provocação de cá, mas dentro de campo a gente sabe que o bicho pega, a gente dá conta do recado, não vai falar por falar. A gente vai falar e botar dentro de campo. Tem que ganhar todos os jogos e é o que a gente está fazendo. A gente vai provocar sim, vai acontecer, o que vale mesmo são os três pontos dentro de campo e quem levantar a taça”, disse.

O “Pombo”, como é conhecido o jogador, foi campeão do torneio na última edição, realizada em 2019, também em território brasileiro. Com 31 jogos na seleção e 10 gols marcados, o atacante diz não sentir o peso da camisa. “Minha vida é feita de desafios, desde que fui para a Europa nem eu acreditava que iria ficar tanto tempo lá. A partir do momento em que cheguei na Europa comecei a ganhar maturidade e experiência. Graças a Deus, peguei bons treinadores que me ajudaram lá. Tenho bagagem, experiência, quando cheguei na seleção eu já sabia o que queria. Todo mundo fala que a camisa da seleção pesa para alguns, mas para mim não foi assim, não pesou. Só tenho a agradecer aos meus companheiros, sem eles a minha confiança não estaria tão alta. Tudo é um conjunto, depende do treinador, dos jogadores que nos ajudam em campo… Aqui tem um elenco bom, isso facilita para poder jogar”, comentou.

Sem querer comentar o interesse do Real Madrid, o atacante que atua no Everton, da Inglaterra, também falou sobre a iniciativa de leiloar sua chuteira e usar o dinheiro para a pesquisa de vacinas contra a Covid-19. “Teve essa parceria com a Nike e a USP, meus assessores tiveram essa ideia. Eu achei bacana, topei, usei a chuteira na semifinal. É importante estar fazendo isso, desde que começou a (pandemia de) Covid-19, venho ajudando o pessoal da USP, arrecadando fundos para eles. É importante fazer isso, hoje mesmo estava vendo o jogo da Eurocopa e vi o estádio quase cheio lá fora. Querendo ou não, a gente sente saudade desse clima, quer que as coisas voltem ao normal, por isso tenho ajudado bastante ao pessoal da ciência”, falou.