Em jogo sonolento, Santos vence Delfín na Libertadores

  • Por Jovem Pan
  • 10/03/2020 21h24
MAURÍCIO DE SOUZA/DIÁRIO DO LITORAL/ESTADÃO CONTEÚDOSantos jogou para o gasto e venceu o Delfim por 1 a 0

O Santos venceu, mas não teve um bom desempenho na Vila Belmiro, nesta terça-feira. Contra o Delfín, em jogo válido pela Libertadores, e de portões fechados por conta de uma punição de 2018, a equipe do português Jesualdo fez uma apresentação apagada e com muitos erros, mas conseguiu garantir os três pontos e o aproveitamento total nas duas primeiras partidas do torneio ao segurar o placar de 1 a 0.

Desempenho santista aquém do esperado 

Os torcedores esperavam por um Santos mais agressivo na primeira etapa. Com a bola nos pés durante a maior parte do tempo, a equipe arriscou em algumas oportunidades, mas não conseguia furar o bem postado bloqueio do Delfín. Os equatorianos compensavam o número baixo de investidas com uma marcação eficiente. Aos poucos, começaram a aparecer para o jogo, e ameaçaram com Rojas e Gonzáles.

No melhor momento do Delfín, o Santos abriu o placar em um lance de sorte. Sanchéz cobrou falta em direção a grande área, e o goleiro Baroja saiu muito mal. Lucas Veríssimo cabeceou direto para o gol. A equipe aumentou sua intensidade após inaugurar o marcador e recuperou o controle do jogo. O goleiro Baroja não vacilou, e deteve outras duas boas tentativas de Diego Pituca e Sánchez.

Segundo tempo sonolento

No segundo tempo, a performance dos brasileiros caiu ainda mais. Com Soteldo apagado e Sasha substituído após sentir dores, o time errava saídas de bola e não conseguia encaixar contra-ataques e desenvolver seu jogo. O Delfín exercia uma leve pressão, e conseguiu levar perigo em alguns lances, como aos 10 minutos, quando Alaníz bateu de primeira na entrada da área, e a bola passou muito perto da trave de Everson.

Aos 24 minutos, o Santos teve sua melhor chance em um lançamento de Soteldo para Yuri Alberto. Dentro da área, ele bateu cruzado mas a bola foi para a fora. Minutos depois, Sanchéz chutou muito bem de fora da área após escanteio. Baroja teve que se estivar para evitar o segundo gol.

Na segunda metade do segundo tempo, as equipes pareciam já conformadas com o placar. Ambos cometiam muitos erros de passe e na construção das jogadas. O Delfim ainda conseguiu assustar, aos 43, com um chute de muito longe de Noboa. Everson se esticou e fez boa defesa com a ponta dos dedos, mas o bandeirinha já marcava impedimento.

O próximo adversário do Santos na Libertadores é o Olímpia (PAR), na próxima terça-feira, 17 de março, também na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 1 X 0 DELFÍN

SANTOS: Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca e Sánchez (Evandro); Soteldo, Eduardo Sasha (Arthur Gomes) e Kaio Jorge (Yuri Alberto). Técnico: Jesualdo Ferreira.

DELFÍN: Baroja; González, Cangá, Agustín Ale e Geovanny Nazareno; Noboa, Calderón (Benítez), Alaníz e Janner Corozo (Valencia); Rojas (Cifuente) e Carlos Garcês. Técnico: Carlos Ischia.

GOL: Lucas Veríssimo, aos 29 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO: Kevin Ortega (Peru).

CARTÕES AMARELOS: Luan Peres, Cangá, Calderón, Jobson, Lucas Veríssimo, Alaníz, Felipe Jonatan e Jesualdo Ferreira.