Técnico Pintado deixa comando da Chapecoense

Treinador não ficou dois meses e 21 dias à frente da equipe; time catarinense está na lanterna da Série A do Campeonato Brasileiro

  • Por Jovem Pan
  • 26/10/2021 14h53 - Atualizado em 26/10/2021 14h54
TARLA WOLSKI/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 16/10/2021 Pintado assumiu a Chapecoense em agosto de 2021

O treinador Pintado pediu demissão da Chapecoense nesta terça-feira, 26. O paulista foi apresentado oficialmente em 5 de agosto de 2021 com a missão de assumir a equipe na sequência da Série A do Campeonato Brasileiro. A Chape, porém, tem vindo de uma sequência de derrotas e empates. A última vez que o time venceu no Brasileirão foi em 11 de setembro, em partida contra o Red Bull Bragantino. No último domingo, 24, a Chapecoense perdeu de 3 a 0 para o Bahia. Atualmente, a equipe está na lanterna do Campeonato Brasileiro. Em coletiva de imprensa nesta terça, o presidente Gilson Sbeghen anunciou a saída do técnico. “Hoje de manhã, através de uma solicitação do Pintado, em comum acordo com toda a diretoria, departamento de futebol também, decidimos encerrar o contrato. A Chapecoense deve muito por esse curto período que você ficou. A gente sabe que não eram os resultados que nós esperávamos, então saímos um pouco frustrado nesse sentido, mas satisfeitos pela pessoa e pelo profissionalismo que você entregou ao nosso clube nesse período”, iniciou Sbeghen, que teceu uma série de elogios a Pintado e deixou uma porta aberta para o futuro do treinador no time.

“Só temos a agradecer ao Pintado, um grande campeão, um grande vencedor, por fazer parte da Chapecoense, e, quem sabe, em um futuro próximo, possamos contar novamente com todo seu trabalho e dedicação”, finalizou o presidente. Em seguida, Pintado começou sua fala se declarando como novo torcedor da Chape. “A Chapecoense, para mim, é uma etapa muito importante da minha vida profissional. Tenho certeza que eu termino essa primeira etapa e saio da Chapecoense como um melhor profissional, um melhor homem. Aprendi a conhecer um clube que eu tanto admiro, que tanto respeito e, a partir desse momento, a Chapecoense tem mais um torcedor. É algo que vou levar no coração”, confessou o paulista.

Assim como Sbeghen, Pintado não descartou a possibilidade de voltar a ser treinador da Chapecoense em outro momento e declarou seu desejo de continuar contribuindo com o time. “Tenho certeza que isso é um até logo. O mundo do futebol é muito dinâmico e as coisas acontecem muito rapidamente. Nosso torcedor tem que entender que os bons momentos passaram, mas os maus momentos também vão passar”, declarou. “Eu vou continuar. Eu quero, se possível, continuar contribuindo de alguma maneira. Só acho que como treinador, nesse momento, o futebol precisa de algo diferente”, confessou Pintado, que acrescenta que é importante que o torcedor tenha em mente que o time não está de “braços cruzados”.