Maurício Souza diz que foi ‘linchado’ em acusações de homofobia: ‘Não é assim que vão conseguir respeito’

Em entrevista ao Pânico, atleta afirmou que a esquerda quis prejudicá-lo por questões políticas: ‘Se é o preço que se paga para dar sua opinião, eu paguei caro’

  • Por Jovem Pan
  • 01/11/2021 14h54
Reprodução/Pânico Maurício Souza fala com violão ao fundo O atleta Maurício Souza foi o convidado do programa Pânico desta segunda-feira, 1.

Nesta segunda-feira, 1º, o programa Pânico recebeu o atleta Maurício Souza. Recentemente demitido do Minas Tênis Clube após acusações de homofobia, em entrevista, ele afirmou que questionou a bissexualidade do Superman nos quadrinhos por vontade de proteger seus filhos. “Aquele post foi o meu pensamento de que, independente de homem ou mulher, ser colocado na sociedade para as crianças, é uma imposição muito forte. Eu não aceito porque tenho dois filhos pequenos, isso é para frente, não agora. Você não pode se expressar, pois vai ser linchado publicamente como fui linchado. Não queria pedir desculpas porque acho que não errei, foi minha opinião. Fiz o pedido para proteger os meus companheiros. Minhas desculpas não adiantaram de nada. Você dá alimento para eles, não adiantou nada, falaram que não era o suficiente. Não é assim que vão conseguir respeito, o movimento LGBT repudia esse tipo de coisa.”

Enquanto discute o futuro de sua carreira com sete clubes diferentes, Maurício disse não enxergar o Minas Tênis Clube como culpado pelo ocorrido. Para ele, a demissão veio após pressão de pessoas que não aceitam diferentes formas de pensar. “Foi tranquilo com o clube, foram firmes, veio dos patrocinadores. Como o time perderia o patrocínio a essa altura e prestes de começar a Superliga? Aconteceu tudo isso, não culpo eles. Os culpados são esse pessoal que está acostumado a lacrar, os que pedem respeito, mas que mais desrespeitam as pessoas. Aconteceu. Hoje sou um ponto de referência para pessoas que não aguentam mais esse tipo de coisa, não suportam nossos pensamentos, o que a gente defende e não acredita. É muito triste. Mas está claro, o reflexo disso é meu número de seguidores”, afirmou.

O atleta ainda desabafou sobre as consequências das acusações para o futuro de sua carreira no vôlei. Segundo ele, aqueles que o denunciam como preconceituoso não levam em conta o seu comportamento respeitoso quando joga em equipe com jogadores gays.  “O que me indigna é que eu joguei com vários homossexuais, nunca desrespeitei. Cadê essas pessoas para falarem que eu estou ou não sendo homofóbico? Eles não têm coragem. (…) Me conectaram com política. A galera da esquerda fala que o Maurício é de direita, vamos arrebentar ele. O desenho não foi nada, o que pegou foi a questão política. Não teve nada a ver com o post, tenho certeza. Tudo que eu fiz e construí manchou. Não é só perder um serviço ou um emprego. Para frente eu não arrumo time fácil, vai ser pressão em cima dos patrocinadores e companheiros de time. Tem que ter uma cabeça muito forte para aguentar tudo isso. Se é o preço que se paga para dar sua opinião, eu paguei caro. Qual é o preço?”, questionou.

Confira na íntegra a entrevista com Maurício Souza: