Fina recua e anuncia Mundial de Esportes Aquáticos para Budapeste em 2022

A mudança de sede tem relação com as restrições impostas pelo governo japonês devido à pandemia do novo coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2022 14h12 - Atualizado em 07/02/2022 14h14
PA Images via Reuters Connect bruno fratus Bruno Fratus é o principal nadador brasileiro da atualidade

Uma semana após adiar o Mundial de Esportes Aquáticos para 2023, a Federação Internacional de Natação (Fina, na sigla em francês) mudou de ideia e decidiu que o evento será disputado em 2022, de 18 de junho a 3 de julho. Apesar disso, o órgão precisou mudar a sede da competição, inicialmente marcada para acontecer na cidade de Fukuoka, no Japão. O Mundial, agora, acontecerá em Budapeste, na Hungria – a mudança tem relação com as restrições impostas pelo governo japonês devido à pandemia do novo coronavírus. “Como uma comunidade aquática, estamos encontrando soluções em torno da pandemia e o anúncio de hoje (segunda-feira) é um passo importante nesse processo”, disse o presidente da Fina, o kuwaitiano Husain Al-Musallam, que prosseguiu no comunicado oficial divulgado pela entidade.

“Sabemos que precisamos ser criativos em nossa abordagem ao navegar pela atual crise de saúde para nossos atletas. O acordo é um testemunho deste trabalho. A Fina também reconhece que a pandemia está evoluindo de maneira diferente de acordo com o tempo e o lugar. Somos extremamente afortunados por ter anfitriões de eventos que compartilham nossa paixão pelos esportes aquáticos e têm disposição, capacidade e flexibilidade para organizar o evento mais prestigiado da Fina. Estamos profundamente gratos a todos os nossos anfitriões e sabemos que os atletas aquáticos sentem o mesmo”, completou o dirigente, que não deixa claro como será o calendário daqui para frente. De acordo com o comunicado oficial, a entidade “continua consultando atletas e partes interessadas sobre a programação do Campeonato Mundial da Fina em Doha, Catar, e mais informações serão divulgadas o mais rápido possível.”

*Com informações do Estadão Conteúdo