Pai de Djokovic diz que filho não deve jogar Australian Open e que obrigação de vacina é ‘chantagem’

Tanto organizadores do torneio quanto autoridades australianas exigem comprovante de vacinação

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2021 00h36
Jason Szenes/EFE Novak Djokovic rebate uma bola durante uma partida de tênis Novak Djokovic é o atual tenista número 1 do mundo

Srdjan Djokovic, pai do tenista nº 1 do mundo Novak Djokovic, afirmou que é improvável que seu filho dispute o primeiro grand slam de 2022, o Australian Open, por causa da obrigatoriedade de vacina aos atletas que forem jogar no torneio por parte dos organizadores do evento e das autoridades australianas. “No que diz respeito às vacinas e não vacinas, é direito pessoal de cada um de nós sermos vacinados ou não. Ninguém tem o direito de entrar em nossa intimidade. Sob essa chantagem e essas condições, [Novak] provavelmente não vai jogar. Eu não jogaria. Ele é meu filho e decide por si só”, disse Srdjan ao site B92, da Sérvia, país natal dele e do filho. O torneio está marcado para começar em 17 de janeiro e tem Djokovic como maior campeão, com nove títulos. Além dele, Federer deve ficar fora por lesão e Nadal, embora esteja com o pé esquerdo machucado e em recuperação, deve jogar.