Títulos, classificações e glórias: 5 vezes em que o Morumbi fez a diferença para o São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 01/10/2015 22h16
O estádio do Morumbi está há 55 anos ajudando o São Paulo a se impor sobre seus adversários

O estádio Cícero Pompeu de Toledo, o famoso Morumbi, foi inaugurado há exatamente 55 anos, em 2 de outubro de 1960. Um amistoso entre São Paulo e Sporting-POR, vencido pelo time brasileiro por 1 a 0 com gol de Peixinho, selou a primeira de muitas glórias no estádio. Desde então, o Tricolor conquistou vitórias marcantes sobre rivais, classificações heroicas, títulos e a marca de 3 mil gols dentro de sua casa.

Para homenagear o aniversário da inauguração do Morumbi, o Jovem Pan Online conta a história de cinco vezes em que o estádio fez a diferença para o clube em grandes momentos de sua história.

Campeonato Paulista de 1971, o primeiro título do São Paulo no Morumbi

Toda história vitoriosa tem um começo – ou então alguns “começos”. O Morumbi, inaugurado em 1960, foi palco de um título de expressão do São Paulo pela primeira vez em 1971. Na ocasião, o Tricolor, treinado por Osvaldo Brandão, venceu o Palmeiras por 1 a 0 na final do Campeonato Paulista. O gol da vitória foi marcado por Toninho Guerreiro, logo aos cinco minutos do primeiro tempo.

Na marra e nos pênaltis: o título paulista de 1975

O São Paulo encarou a Portuguesa na decisão do Campeonato Paulista de 1975. Foram dois jogos no Morumbi: no primeiro, o Tricolor venceu com gol de Pedro Rocha; no segundo, Enéas fez a Lusa devolver o placar. A final foi para a prorrogação e os são-paulinos começaram a usar o fator casa para mostrar quem mandava.

Henri Aidar, então presidente do clube e pai de Carlos Miguel Aidar, disse que Muricy Ramalho, expulso durante o jogo, poderia voltar a campo, pois a prorrogação era “outra partida”. O goleiro Waldir Peres, por sua vez, usou a torcida a seu favor para desestabilizar os jogadores da Lusa. Resultado: 3 a 0 para o Tricolor nos pênaltis e título garantido mesmo com a derrota no tempo normal.

O primeiro título da Libertadores, em 1992

Depois de perder para o Newell’s Old Boys em Rosário, na Argentina, por 1 a 0, o São Paulo contou com a força de seu estádio e de mais de 105 mil torcedores para reverter a situação. Não foi fácil, contudo: Raí marcou de pênalti, aos 20 minutos do segundo tempo, o gol da vitória. Na decisão por penalidades, Raí, Ivan e Cafu converteram suas cobranças e deram ao torcedor são-paulino seu primeiro título da Libertadores em casa.

A incrível virada sobre o Newell’s em 1993

Depois de vencer a Libertadores de 1992, o São Paulo tentava o bicampeonato no ano seguinte e começava o mata-mata contra o Newell’s Old Boys. No jogo de ida, o time argentino venceu em casa por 2 a 0 e abriu grande vantagem. O Tricolor precisaria, então, da força do Morumbi para reverter a situação e manter vivo o sonho do bi. E conseguiu: de Telê Santana venceu por 4 a 0, com gols de Toninho Cerezo, Raí (duas vezes) e Cafu, e seguiu firme até o título.

Goleada na final da Libertadores de 2005

O estádio foi importante para o Tricolor em todos os jogos da competição, especialmente no mata-mata, quando conseguiu vitórias fundamentais contra Palmeiras, Tigres e River Plate. No entanto, a força do São Paulo no Morumbi ficou clara na final contra o Atlético-PR. Após o empate em 1 a 1 na ida, o time de Paulo Autuori goleou por inapeláveis 4 a 0 e levantou o troféu continental em casa. Na ocasião, Amoroso, Fabão, Luizão e Diego Tardelli foram os autores dos gols.