Arthur Zanetti erra saída e fica em 8º na final das argolas da Tóquio-2020

Primeiro a se apresentar, ele decidiu arriscar um movimento mais difícil para buscar um lugar ao pódio, mas acabou falhando e caiu de cara no colchão

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2021 07h26 - Atualizado em 02/08/2021 07h27
EFE/EPA/HOW HWEE YOUNGArthur Zanetti durante a final das argolas na Tóquio-2020

Medalhista de ouro em Londres-2012 e prata na Rio-2016, Arthur Zanetti não conseguiu subir ao pódio nas argolas em Tóquio-2020. Na madrugada desta segunda-feira, 2, o brasileiro de 31 anos deu adeus ao sonho de tornar-se o primeiro ginasta do mundo a conquistar uma medalha nas argolas em três edições consecutivas dos Jogos Olímpicos. Primeiro a se apresentar, ele decidiu arriscar uma saída diferente e mais difícil para buscar um lugar ao pódio, mas acabou falhando – na conclusão com um triplo mortal, o movimento não saiu como planejado, e Zanetti caiu de cara no colchão. Assim, o esportista ficou na oitava e última posição da decisão.

Acompanhando a prova de fora e sem muita expectativa, Zanetti viu a China dominar as argolas. Liu Yang recebeu nota 15,500 e ficou com o ouro, seguido de You Hao (15,300). O grego Eleftherios Petrounias, que havia sido campeão no Rio, completou o pódio com nota 15,200. “Temos que sair felizes em tudo na nossa vida. Não é porque errei que tenho que sair triste. Saí feliz porque arrisquei. Tinha que arriscar e, como falei, ninguém sabe o quanto sofri para fazer essa saída. Machuquei o pé várias vezes para fazer a saída e, se eu não tivesse feito hoje, com certeza ficaria triste. Pelas notas que venho tirando nas apresentações, ficaria em quarto e quinto. Aí você me veria triste, porque não arrisquei. Não tive o melhor resultado, mas saio satisfeito porque coloquei em prática o que vinha treinando”, disse Zanetti, em entrevista ao Grupo Globo. Ele, agora, espera ter condições físicas para chegar bem às Olimpíadas de Paris-2024.

Confira AQUI o quadro de medalhas em tempo real