Brasil bate Arábia Saudita e avança como líder do grupo; Costa do Marfim elimina a Alemanha

Matheus Cunha e Richarlison (duas vezes) marcaram o Brasil, enquanto Al Amri fez o único gol dos sauditas; rival das quartas de final será o segundo colocado da chave C

  • Por Jovem Pan
  • 28/07/2021 06h56 - Atualizado em 28/07/2021 07h00
Lucas Figueiredo/CBFRicharlison marcou seu quarto gol nas Olimpíadas de Tóquio diante da Arábia Saudita

A seleção brasileira olímpica venceu a Arábia Saudita por 3 a 1, na manhã desta quarta-feira, 28, no Estádio Saitama, em jogo válido pela terceira e última rodada da fase de grupos do futebol masculinos das Olimpíadas de Tóquio. Matheus Cunha e Richarlison (duas vezes) marcaram o Brasil, enquanto Al Amri fez o único gol dos sauditas. Com o resultado, a Canarinho avança em primeiro lugar na chave D e enfrenta nas quartas de final o 2º colocado do Grupo C, que pode ser Espanha, Argentina, Austrália ou Egito – as partidas das 8 horas (de Brasília) de hoje vão definir o confronto, que acontecerá no sábado, 31. Quem não teve o mesmo aproveitamento foi a Alemanha, que acabou sendo eliminada ainda na fase inicial, ao empatar com a Costa do Marfim em 1 a 1, no Estádio Miyagi – os marfinenses, assim, se classificaram na segunda posição na chave do Brasil.

Apesar do favoritismo, o Brasil não teve facilidade na disputa contra os sauditas, encontrando dificuldades em superar a marcação adversária na saída de bola. Ainda assim, o time comandado por André Jardine saiu na frente do placar aos 13 minutos, quando Claudinho bateu escanteio na medida para Matheus Cunha testar para as redes. O troco da Arábia Saudita, porém, veio na mesma moeda. Aos 26 minutos, depois de cobrança de falta, o zagueiro Diego Carlos falhou ao tentar cortar, e viu Al Amri cabecear para o fundo das redes. Buscando uma reação, a seleção canarinho foi mais perspicaz, arriscando de fora e criando boas chances com Guilherme Arana, que tirou tinta da trave, e Antony, que parou no goleiro Al Bukhari. O empate, assim, persistiu até o fim do primeiro tempo.

No retorno do intervalo, André Jardine modificou o lado direito do ataque, tirando Antony e colocando Malcom na partida. A substituição, a princípio, deu certo, já que o Brasil passou a combinar mais jogadas entre o atacante e Daniel Alves. Por ali, a seleção deu trabalho para o sistema defensivo adversário. Matheus Cunha, aos 20 minutos, teve chance de ouro, mas acertou o pé da trave. De tanto insistir, entretanto, a seleção voltou a frente do marcador. Em bate e rebate dentro da área, a bola sobrou para Richarlison, que bem posicionado completou de cabeça para as redes, fazendo o seu quarto tento na competição. Já nos instantes finais, Gabriel Menino, Martinelli e Reinier entraram em campo, dando mais poder poder ofensivo ao conjunto brasileiro. Tanto foi assim que, nos acréscimos, Reinier fez boa tabela com Malcom e rolou para o Pombo definir o placar.