Natação ‘passa em branco’, mas Brasil soma dois ouros e três pratas no 6º dia das Paralimpíadas; veja balanço 

Além dos pódios, a seleção masculina de futebol de 5 garantiu vaga na semifinal, enquanto o time feminino de goalball se classificou às quartas de final

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2021 12h04 - Atualizado em 30/08/2021 17h21
Reprodução/Twitter/CPBClaudiney Batista foi ouro no lançamento de disco nas Paralimpíadas de Tóquio

O Brasil permanece tendo um bom rendimento nas Paralimpíadas. Apesar da natação “passar em branco” pela primeira vez e não entregar nenhuma medalha no sexto dia da Tóquio-2020, o país conquistou duas medalhas de ouro e três de prata nesta segunda-feira, 30. Os principais resultados vieram através do lançamento de disco. Atleta mais experiente da delegação na capital japonesa, Beth Gomes, de 56 anos, fez valer o favoritismo e venceu a prova na classe F53, para competidores em cadeiras de rodas, com direito a recorde mundial. Na mesma modalidade, mas na classe F56, Claudiney Batista ganhou a prova com facilidade, estabelecendo o novo recorde paralímpico. Assim, o Brasil alcançou a sua 99ª medalha dourada na história dos Jogos.

No atletismo, o país também garantiu mais duas medalhas de prata. Vinícius Rodrigues, favorito nos 100 m T63, terminou na segunda posição, atrás do russo Anton Prokhorov por apenas um centésimo. Enquanto isso, no arremesso de peso na classe F11, para deficientes visuais, Alessandro Rodrigo também conquistou o vice. Em sua última tentativa, o brasileiro fez sua melhor marca no ano, 13,89 m, sendo superado apenas pelo iraniano Mahdi Oladi, com 14,43m. O outro pódio do Brasil nesta sexta veio com Bruna Alexandre, do tênis de mesa, que vinha fazendo campanha irretocável, mas perdeu a final de simples da classe 10, para atletas andantes, diante da australiana Qian Yang por 3 sets a 1, com parciais de 13/11, 6/11, 11/7 e 11/9. Com os resultados, a delegação terminou o dia na sexta colocação do quadro de medalhas.

Outros triunfos importantes vieram nas quadras. A seleção masculina de futebol de 5, tetracampeã paralímpica e nunca derrotada na história dos Jogos, goleou o Japão por 4 a 0 e se classificou às semifinais. Já no goalball, o time feminino assegurou vaga nas quartas de final, ao massacrar o Egito por 11 a 1. Agora, as brasileiras encaram a China na próxima fase. Quatro representantes brasileiros avançaram às quartas de final da bocha, sendo eles: José Carlos Chagas, Maciel Santos, Eliseu dos Santos e Evelyn de Oliveira. O Brasil, por outro lado, não garantiu medalha na natação pela primeira vez nesta Paralimpíadas. Daniel Dias, recordista paralímpico, ficou na quinta posição nos 50 m costas da classe S5, para atletas com deficiências físicas. Ele ainda tem chance de subir ao pódio pela última vez nos 50 m livre. Além dele, Gabriel Melone de Oliveira ficou em sétimo lugar na final dos 50m borboleta classe S6, para atletas com deficiências físicas. Wendell Belarmino, por sua vez, ficou na mesma posição nos 200 m medley na SM11, para competidores com deficiência visual. O país ainda ficou na quarta posição no 4x100m livre masculino até 34 pontos. Por fim, a equipe de vôlei sentado masculino perdeu para o Irã por 3 sets a 0, mas segue viva no torneio, buscando uma medalha inédita.