Primeiro campeão olímpico da história do surfe, Ítalo Ferreira começou a pegar onda em prancha de isopor

Potiguar bateu o japonês Kanoa Igarashi, entrou para a história e relembrou suas raízes na comemoração: ‘Fico muito orgulhoso de ter crescido em um lugar onde tive ótimas pessoas comigo’

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2021 15h22
Jonne Roriz/COB Ítalo Ferreira Ítalo foi o vencedor do torneio masculino de surfe

Primeiro campeão olímpico da história do surfe, Ítalo Ferreira começou a surfar em uma tampa de isopor de seu pai na pequena cidade de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, com apenas 10 mil habitantes, onde cresceu e foi inserido na prática do esporte. Depois de um tempo utilizando a prancha improvisada, Ítalo passou a usar os modelos que seus primos emprestavam, até que foi descoberto aos 12 anos e começou sua carreira. Quinze anos mais tarde, ele derrotou Kanoa Igarashi, do Japão, para se tornar o primeiro surfista medalhista olímpico da história, já que a modalidade estreou nos Jogos de Tóquio 2020. A honorável medalha se junta a um título da World Surf League (WSL), o maior campeonato do esporte, conquistado pelo potiguar em 2019.

Em coletiva após a conquista, o surfista disse acreditar que começou a praticar o esporte justamente para entrar para a história. “Acho que tenho uma grande história. Comecei a surfar em uma tampa de isopor. Depois disso, tive minha primeira prancha e venci meu primeiro campeonato. Tenho muita paixão pelo esporte e comecei para fazer história”, afirmou. “Fico muito orgulhoso de ter crescido em um lugar onde tive ótimas pessoas comigo, todas elas me deram muito apoio para estar aqui, acreditaram em mim, isso me ajudou e me motivou muito”, continuou Ítalo. Por fim, ao ser questionado sobre o impacto do surfe para aqueles que estavam assistindo o esporte pela primeira vez, o medalhista afirmou que “o surfe pode mudar sua vida”.