Ítalo Ferreira supera japonês no surfe e conquista primeiro ouro para o Brasil

Mesmo tendo sua prancha quebrada no início da bateria, o brasileiro dominou a prova e superou Kanoa Igarachi com extrema facilidade

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2021 04h21 - Atualizado em 27/07/2021 04h54
Jonne Roriz/COBÍtalo Ferreira venceu no surfe e deu a primeira medalha de ouro ao Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Ítalo Ferreira fez história na madrugada desta terça-feira, 27, no horário de Brasília, ao vencer Kanoa Igarashi, do Japão, na final do surfe. Mesmo tendo sua prancha quebrada no início da bateria, o brasileiro superou o japonês por 15.14 pontos a 6.60, faturando a primeira medalha de ouro para o Brasil na Olimpíada de Tóquio. Dominando a prova desde o começo, o potiguar emplacou boas manobras, tendo as melhores sendo classificadas com 7.77 e 7.37 pela arbitragem. Graças a enorme diferença exibida na praia de Tsurigasaki, ele acabou comemorando o título ainda antes do término do tempo. Assim, Ítalo também marca o seu nome na história do surfe, sendo o primeiro vencedor do esporte nos Jogos Olímpicos.

Ítalo Ferreira, campeão mundial de 2019, chegou ao Japão como um dos favoritos ao ouro, dividindo o protagonismo com Gabriel Medina, que terminou na quarta posição, fora do pódio. Dando show desde o início, o brasileiro despachou o australiano Billy Stairmand (14.64 a 9.67) e o japonês Hiroto Ohhata (16.30 a 11.90) com autoridade. Na semifinal, ele até teve dificuldades, mas também bateu Owen Wright (13.17 a 12.47), da Austrália. “Acreditei até o final, treinei muito nos últimos meses. É o meu sonho! Só tenho a agradecer a Deus a fazer o que eu amo, ajudar minha família. Eu consegui o que eu quis! Eu queria que minha a avó estivesse viva para ela ver isso. Para ver o que eu me tornei. Não tenho palavras, é algo que eu almejei bastante. Meu nome, agora, está escrito na história do surfe”, disse Ítalo, que foi às lágrimas com o título em entrevista ao SporTV.

Questionado sobre a importância da vitória para a história do esporte, Ítalo Ferreira também recordou os resultados obtidos por companheiros de outra modalidade. “Não só o surfe, mas o skate também era marginalizado. E todos estão de parabéns, agora. Fizemos história! É o Brasil!”, completou falando das medalhas de prata de Kelvin Hoefler e Rayssa Leal no skate street. Além do trio, o esporte brasileiro também já subiu ao pódio com Daniel Cargnin, do Judô, e Fernando Scheffer, da natação. O primeiro pegou bronze na categoria até 66 kg, enquanto o segundo ficou em terceiro lugar na prova 200m livre. Assim, o país subiu para a 11ª posição no quadro de medalhas da Tóquio-2020.