Bombardeio na Síria mata 2 importantes dirigentes do Estado Islâmico

  • Por Agencia EFE
  • 13/07/2015 18h47

Beirute, 13 jul (EFE).- Dois importantes dirigentes do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), identificados como Abu Osama al Iraqui e Amre al Rafidan, morreram nesta segunda-feira em um bombardeio, que acredita-se ter sido lançado pela coalizão internacional, na província nordeste síria de Al Hasaka.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou que os líderes do grupo jihadista morreram ao amanhecer em uma série de ataques aéreos contra várias áreas em Al Hasaka.

Al Iraqui era o governador do EI da chamada “província de Al Baraka”, que ocupa parte de Al Hasaka, já que os radicais impuseram suas próprias divisões administrativas nas áreas que dominam no Iraque e na Síria.

Segundo o Observatório, Al Iraqui era um dos principais líderes jihadistas que entraram na Síria procedentes do Iraque em 2011 e desempenhou um papel essencial na separação de sua organização da Frente al Nusra, filial da Al Qaeda no território sírio, em 2013.

Por sua parte, Al Rafidan desempenhou uma função essencial na tomada de controle de grandes partes de Deir ez Zor (leste da Síria) há um ano e foi governador da “província de Al Jair”, estabelecida pelo EI nessa região, até que foi transferido ao Iraque para ocupar outro cargo de responsabilidade dentro da organização.

O Observatório acrescentou que recebeu informações não confirmadas que nas últimas 24 horas poderiam ter morrido também outros líderes extremistas em Al Raqqah (norte do país), bastião do EI na Síria, por bombardeios da coalizão liderada pelos Estados Unidos.

O Pentágono, que costuma comunicar sempre quando a coalizão atinge seus objetivos, não confirmou nem desmentiu estes dados por enquanto.

O membro da rede de ativistas Deir ez Zor 24, Rami al-Hakim, declarou à Agência Efe pela internet que Al Iraqui era uma figura muito próxima ao líder do EI, Abu Bakr al-Baghdadi.

O ativista ressaltou que tanto Al Iraqui como Al Rafidan foram enterrados na cidade de Yadid Okeidat, no leste de Deir ez Zor. “Esta cidade é o lugar de nascimento de Al Rafidan”, contou Hakim.

Se for confirmado que o ataque foi realizado pela coalizão internacional, este seria um dos maiores golpes dados contra o EI na Síria desde o começo de sua missão no ano passado. EFE