52% dos brasileiros não querem vacinação obrigatória contra Covid-19, diz pesquisa

Dados foram divulgados pelo Instituto Paraná Pesquisas nesta sexta-feira, 18; maior taxa de rejeição à obrigatoriedade vem de pessoas com 60 anos ou mais

  • Por Jovem Pan
  • 18/12/2020 19h29 - Atualizado em 18/12/2020 20h21
ANDRE MELO ANDRADE/IMMAGINI/ESTADÃO CONTEÚDOMaioria dos brasileiros rejeita vacina contra Covid-19

Para 52% dos brasileiros, a vacinação contra Covid-19 não deve ser obrigatória. O número é resultado de dados compilados pelo Instituto Paraná Pesquisas, que ouviu 2,2 mil brasileiros de 208 municípios diferentes das 27 unidades federativas entre os dias 12 e 16 de dezembro. O resultado foi divulgado nesta sexta-feira, 18. A maior taxa de rejeição vem do grupo de pessoas mais vulnerável ao novo coronavírus: idosos com 60 anos ou mais (com 55,3% do grupo não querendo obrigatoriedade) e de pessoas com ensino superior completo (55,7%). No comparativo das regiões, o Norte somado ao Centro-oeste são os locais com maior aceitação da obrigatoriedade (49,4% a favor e 48,8% contra) e o Sul com maior rejeição (56,4%).

Em relação a gênero, mulheres representam maior taxa de aceitação em comparação aos homens (49,7% em relação a 42%). O medo dos efeitos colaterais de uma vacina produzida às pressas é presente em 60,9% dos brasileiros ouvidos e 61,4% dos brasileiros acreditam que o governo se comporta de forma lenta em relação à implementação de um plano nacional de vacinação. Uma das questões que mais dividiram os entrevistados na pesquisa envolvia a distribuição do imunizante: enquanto 46,6% se consideravam a favor do confisco de vacinas produzidas ou importadas pelos estados e municípios para distribuição por parte do governo e 47,7% se posicionaram contra essa possibilidade.

A pesquisa também perguntou aos brasileiros se eles tomariam a CoronaVac, vacina de tecnologia chinesa desenvolvida pelo Instituto Butantan alvo de uma série de troca de farpas entre Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria. Ao todo, 62,4% dos brasileiros responderam que sim. A taxa com maior rejeição à “vacina chinesa” também é a de idosos com mais de 60 anos. Dentro desse grupo, 41,2% disseram que não se imunizariam com a vacina da Sinovac. No embate entre o PSDBista e o presidente da república, Bolsonaro leva vantagem: questionados sobre qual dos dois tem razão na discussão pela aprovação da CoronaVac, 43,3% dos brasileiros estão a favor de Bolsonaro, 38,7% a favor de João Doria e 18% não opinaram. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos para mais ou para menos.