86% dos hospitais privados de SP relatam aumento nas internações por Covid-19 nos últimos 10 dias 

Taxa de ocupação dos leitos de UTI é superior a 71% em 72% centros médicos; 63% afirmam ter condições para ampliar o número de leitos destinados à doença

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2021 09h51 - Atualizado em 15/01/2021 09h56
Sandro Pereira/Estadão ConteúdoO número de pacientes infectados por Covid-19 que precisam de atendimento médico aumentou nos últimos 10 dias

Como efeito das festas de fim de ano, 86% dos hospitais privados de São Paulo relataram aumento nas internações por Covid-19 nos últimos 10 dias. O levantamento do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (SindHosp) divulgado na manhã desta sexta-feira, 15, colheu dados de 76 hospitais da rede privada do estado. A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é superior a 71% em 72% dos centros médicos. Sendo assim, apenas 28% dos hospitais estão com a taxa de ocupação abaixo de 70%. São 44% das instituições com o índice entre 81% e 90%.

Cerca de 28% dos hospitais tiveram que aumentar o número de leitos clínicos destinados à pacientes portadores da Covid-19. Apesar do aumento nas internações e da consequente falta de leitos, 63% das instituições afirmaram ter condições para ampliar o número de leitos para a doença, se necessário. Segundo a pesquisa, os hospitais não estão cancelando atendimentos de outras enfermidades. Dos entrevistados, 76% dos centros médicos afirmaram não estar cancelando cirurgias ou outros procedimentos eletivos em razão da Covid-19. “Precisamos atender a todos pacientes, sejam infectados pelo coronavírus ou não”, destaca o presidente da SindHosp, Francisco Balestrin. Para ele, a rede privada deve estar estruturada para auxiliar a rede pública nos atendimentos. “A integração público nesse momento da pandemia. E os hospitais privados estão ampliando atendimentos e desdobrando esforços para garantir assistência à população.”