95% das pessoas internadas com Covid-19 na cidade do Rio de Janeiro não se vacinaram

Dados trazidos pela prefeitura do município apontam que, em julho, quase metade dos casos foram da variante Delta

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2021 11h15 - Atualizado em 06/08/2021 16h41
ANDRE MELO ANDRADE/IMMAGINI/ESTADÃO CONTEÚDO - 06/08/2021O prefeito Eduardo Paes disse que os dados reforçam a importância da vacinação para a diminuição de casos graves da Covid-19

Dados relativos à pandemia na cidade do Rio de Janeiro apontam uma diminuição na proporção de pessoas na faixa etária de 40 a 59 anos internadas por Covid-19. Os números foram apresentados na manhã desta sexta-feira, 6, durante a apresentação do 31° boletim epidemiológico. “Como a gente avançou muito na vacinação de 40 a 59 anos, diminuiu a internação nesse grupo, assim como a internação global na cidade”, relatou o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz. Segundo ele, dos internados pela doença na capital fluminense, apenas 5% são de pessoas que se vacinaram contra a Covid-19. Os outros 95% dos casos são de indivíduos que não tomaram a primeira dose do imunizante.

“Agora, temos uma situação que merece atenção: só 5% das pessoas que se internam tomaram pelo menos uma dose da vacina. 95% das pessoas internadas são pessoas que não se vacinaram”, detalhou Soranz. “Esse é um dado que reforça que as vacinas funcionam, elas têm efeito, mas ainda tem muita internação de pessoas que não se vacinaram por motivos diversos”, disse. A informação foi ressaltada pelo prefeito Eduardo Paes (Republicanos). “Só 5% dos casos de internações são de pessoas que se vacinaram. Quem está sendo internado é quem não tomou a primeira dose. Isso mostra a força da vacina e a importância de ir tomar a sua dose”, afirmou Paes.

Gráfico da proporção de internados na cidade do Rio de Janeiro por idade

Variante Delta no município do Rio

Um dado preocupante trazido pela Prefeitura do Rio de Janeiro é de que, em julho, quase metade dos casos de Covid-19 foram causados pela variante Delta. Dos infectados, 65,6% são adultos. Do total de casos da variante Delta no município, 95,5% correspondem a síndrome gripal. Apenas 0,5% são de Síndrome Respiratória Aguda Grave. De todos os infectados, 98,5% tiveram alta e se curaram da doença. Houve apenas um óbito pela cepa.