Advogado cita ‘perseguição política’ com Flávio e diz que Bolsonaro ‘jamais interferiu na PF’

  • Por Jovem Pan
  • 22/05/2020 16h50 - Atualizado em 22/05/2020 16h58
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃOFrederick Wassef representa Jair e Flávio Bolsonaro

Frederick Wassef, advogado que representa o presidente Jair Bolsonaro e o filho, o senador Flávio Bolsonaro, afirmou aos jornalistas nesta sexta-feira (22) que “jamais existiu interferência de Bolsonaro na Polícia Federal”.

Além disso, defendeu Flávio dizendo que a tentativa do Ministério Público Federal (MPF) de recomeçar a investigação que apurou o vazamento de informações por parte de agentes da PF na operação da Furna da Onça é “uma perseguição política”.

“Em 95% dos casos, o MPF acompanha as investigações. Hoje estão querendo começar novamente uma investigação que já foi encerrada. Não existe nada contra o senador Flávio Bolsonaro, o nome disso é perseguição política, uso da máquina pública para perseguir o filho do presidente”, declarou.

Desarquivamento

O MPF solicitou o desarquivamento de um inquérito policial que já tinha apurado o vazamento de informações por parte de agentes da Polícia Federal na operação da Furna da Onça, que aconteceu em 2018 e investigou a prática de rachadinhas na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro e no gabinete do atual senador Flávio. Na época, o caso foi arquivado após a Polícia Federal informar que não houve indícios da suspeita.

O pedido foi feito após o empresário Paulo Marinho ter denunciado que o senador, de quem é suplente, recebeu informações privilegiadas sobre a operação da Polícia Federal Furna da Onça, que teve o ex-assessor de Flávio, Fabrício Queiroz, como um dos alvos.