Advogado de Flávio quer achar ‘mandante’ de Adélio Bispo: ‘Atentado terrorista contra Bolsonaro’

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2019 10h21 - Atualizado em 02/10/2019 12h55
Divulgação/Assessoria de Comunicação Organizacional do 2° BPMBispo foi absolvido por ser considerado alguém com problemas psicológicos

Advogado do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) nas investigações sobre sua quebra de sigilo bancário, Frederick Wassef se tornou, também, defensor do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e agora representa o chefe do Executivo no caso Adélio Bispo.

Em entrevista ao Jornal da Manhã desta quarta-feira (2), Wassef declarou que, mesmo com caso já encerrado, vai trabalhar “pelos interesses do presidente”, uma vez que tem “certeza absoluta” de que Adélio foi apenas o executor do crime e que há um mandante. “A minha convicção pessoal após mais de 25 anos na advocacia criminal é que temos elementos suficientes para entender que seria impossível ele ter agido sozinho”, afirma.

Em suas palavras: “Qualquer pessoa que tem o mínimo de lucidez ou experiência na área de segurança pública sabe que os elementos que já existem são suficientes para apontar que ele não agiu sozinho. Não foi uma manifestação raivosa de alguém que queria agredir o presidente”.

Segundo ele, a facada é um atentado terrorista onde foi encomendada a morte do presidente da República. “Eu não tenho duvida.”

O advogado ainda afirmou que irá reunir os processos, investigações e provas até o momento para prosseguir com o caso. Ele também não acredita que Bispo tem problemas psicológicos, mesmo tendo sido absolvido pela justiça. “Convenientemente ele enlouqueceu, ficou louco, esse é um mecanismo da defesa dele – muito bem pago pelos mandantes”, afirma.