Frota critica passeio de Bolsonaro: ‘Capitão Corona está espalhando mais o vírus’

  • Por Jovem Pan
  • 29/03/2020 17h08
Montagem sobre fotos/Reprodução/Dida Sampaio/Estadão ConteúdoO deputado Alexandre Frota (PSDB) criticou a ida de Jair Bolsonaro a padaria, posto de gasolina e mercado durante a pandemia de Covid-19

O passeio do presidente Jair Bolsonaro por Brasília, na manhã deste domingo (29), foi alvo de críticas por parlamentares das mais diversas bancadas do Congresso Nacional. Para os deputados, a situação foi compreendida como “irresponsabilidade”, “provocação a Mandetta” e até mesmo “crime de responsabilidade”. A saída de Bolsonaro pelo comércio, falando com populares, aconteceu um dia depois de o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, reforçar medidas de isolamento no combate à pandemia do novo coronavírus.

O deputado Alexandre Frota (PSDB) disse que Bolsonaro estava “espalhando mais o vírus” por Brasília. Marcando a conta oficial do presidente na mensagem, o deputado parabenizou-o ironicamente pela “falta de responsabilidade com o povo brasileiro.” Além disso, chamou-o de “Capitão Corona”.

O deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) foi um dos parlamentares a classificar a atitude do presidente como “irresponsabilidade”. Ramos também entendeu o “rolezinho” do presidente como uma “clara provocação” ao ministro da Saúde. “O ‘rolezinho’ do presidente além de uma irresponsabilidade é um péssimo exemplo é uma clara provocação ao ministro Mandetta que tem sido uma voz de lucidez no governo no combate ao coronavírus Lamentável”, escreveu.

Oposição ao presidente, a bancada do PT no Congresso também se manifestou. O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) chamou Bolsonaro de “Capitão Corona” e disse que o presidente afrontava todos os procedimentos orientados pelos organismos de saúde. Outro que se manifestou foi o deputado federal José Guimarães (PT-CE), que afirmou que o ato de Bolsonaro configura “crime de responsabilidade ao ameaçar a saúde pública”.

Marcelo Freixo (PSOL-RJ) também se dirigiu a Bolsonaro chamando-o de “Capitão Corona”. Freixo foi mais um a considerar a aparição pública do presidente como uma irresponsabilidade e lamentou o que classificou como falta de “bom senso” e “caráter”.

“Um presidente que força as pessoas a escolherem entre uma doença e um prato de comida não merece o cargo que ocupa”, foi o que afirmou a deputada Tabata Amaral (PDT-SP), ao se manifestar sobre o caso. A parlamentar também lembrou que a Justiça já havia se manifestado para impedir que Bolsonaro voltasse a atuar contra o isolamento.

*Com informações do Estadão Conteúdo