Aniversário de São Paulo: Cidade completa 468 anos e comemora com homenagem à Semana de 22

Evento cultural que apresentou artistas como Mário de Andrade e Tarsila do Amaral ao mundo ajudou a forjar a identidade da maior metrópole do Brasil; confira detalhes da programação

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2022 07h00 - Atualizado em 25/01/2022 08h45
Divulgação/SMSU Comunicação da SMSU Um dos símbolos da cidade de São Paulo, o Theatro Municipal sediou a Semana de Arte Moderna em 1922

A prefeitura da cidade de São Paulo preparou uma homenagem ao Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 como parte das celebrações pelo aniversário de 468 anos da capital paulista. O projeto 22+100 trará várias atividades culturais que terão cem dias de duração (começaram no último sábado, 22, e vão até 1º de maio, feriado do Dia do Trabalhador). A programação conta com obras inéditas do Museu de Arte de Rua (MAR) e artes em diversos formatos (como graffiti, lambe-lambe e fotografias), em todas as regiões da cidade. Dentre as obras, estão 22 retratos de 22 modernistas, releituras realizadas por artistas contemporâneos. Outras intervenções serão feitas em praças da periferias e em empenas pela cidade. Cerca de 100 esculturas temporárias de figuras como Mário de Andrade, Tarsila do Amaral e Anita Malfatti foram instaladas. A ideia é destacar a metrópole como grande polo cultural da América Latina. Foi a capital paulista (mais precisamente o Theatro Municipal) que abrigou a Semana de 22, transformando-se ali em um dos pontos culturais mais importantes do mundo.

Aline Torres, secretária municipal de Cultura,  destaca que, desde sua fundação, “São Paulo foi palco para acontecimentos históricos do Brasil e do mundo”, citando a Semana de Arte Moderna. “Em 1922, quem apresentou o modernismo foi a classe intelectual dos artistas. Hoje, 100 anos depois dos modernistas reivindicarem uma arte verdadeiramente nossa, quem apresenta o modernismo é a periferia pujante. Não precisa ser da academia para desenvolver cultura. A cultura da periferia exala nos poros, e não só nos livros. Hoje a política pública chega para unir os dois, dar formação dentro da vocação do que a periferia vem fazendo, a gente está dando base para que isso aconteça. Essa celebração de cem anos de modernismo nada mais é do que ações estruturantes para dar palco e voz à periferia. E nada mais justo do que escolher as festividades do aniversário da cidade para dar início aos cem dias de comemoração ao centenário da Semana de 22”, disse Aline,

A Vila Itororó, um dos principais pontos culturais do Bixiga, receberá a Saudosa Maloca Modernistas, uma roda de samba com artistas clássicos e novos representantes do gênero. Outras atividades anunciadas são a Semana de Arte Moderninha, que contará com uma programação infantil, e os Bailões Modernistas, com apresentações que privilegiarão a cultura negra e indígena. O ator Pascoal da Conceição interpretará Mário de Andrade na performance 22+100, inspirada em Oswald de Andrarde, Mário de Andrade e Manuel Bandeira. A apresentação será no Centro Cultural de São Paulo (CCSP). Também na região central, a premiada Cia Base apresentará uma releitura do quadro, A Mulher Só, de Tarcila do Amaral, na fachada do Shopping Light. A trilha sonora terá apenas músicas que fizeram parte da semana modernista. O encerramento das atividades, no dia 1º de maio, deverá acontecer com um show no Vale do Anhangabaú. A programação até lá poderá ser alterada por causa da pandemia de Covid-19.

Confira as atividades neste dia 25 de janeiro

10h às 22h – Bandeira 22 (Coletivo SHN)
Na Praça das Bibliotecas do Centro Cultural São Paulo (CCSP), o coletivo SNH comandará a instalação de uma bandeira com referências a obras modernistas. O grupo de arte multidisciplinar reúne artistas de diversos tipos de artes (gráfica, arquitetura, vídeo e grandes pinturas). Uma das especialidades do grupo é a transposição de imagens para diversas mídias.
_Rua Vergueiro, 1.000 – Paraíso

12h às 14h –  A Mulher Só (Cia. Base)
O premiado espetáculo Cia Base promoverá uma releitura do quadro A Mulher Só, de Tarcila do Amaral, uma das principais personagens da Semana de 22. A apresentação tem 50 minutos de duração e apenas músicas que fizeram parte da trilha sonora dos modernistas há cem anos, O espetáculo, que usará a fachada do Shopping Light como cenário, promete combinar um balé acrobático e colorido, feito com intérpretes que flutuam com cordas nas alturas.
_Rua Coronel Xavier de Toledo, 23, Centro

18h – Cinema CCSP
Serão exibidos dois filmes nas salas do Centro Cultural São Paulo. Às 18h, começa “São Paulo, Sociedade Anônima”, de Luís Sérgio Person. Lançado em 1965, longa conta a jornada de um inspetor de qualidade de uma montadora paulista. Para as 19h45, está programado “O Caso dos Irmãos Naves”, do mesmo diretor, lançado dois anos depois. Inspirado em eventos reais, o filme conta a história de um dos maiores erros processuais do país, em que dois jovens ficaram oito anos presos injustamente durante as décadas de 1930 e 1940.
_Rua Vergueiro, 1.000 – Paraíso

18h às 22h – Projeção Mapeada “Memórias Insurgentes” – Coletivo Coletores
Trata-se de uma intervenção urbana com projeção de vídeo. Neste aniversário da capital paulista, o coletivo usará a fachada do Centro Cultural São Paulo como tela de exibição. A ideia é “apresentar um olhar sobre pontos da cidade de São Paulo que são referência na memória/cultura e imaginários coletivos paulistanos pela ótica das contra hegemonias, fazendo interface com o centenário da Semana de arte Moderna de 1922”.
_Rua Vergueiro, 1.000 – Paraíso

18h30 – Performance 22+100 – Mário de Andrade
A Biblioteca da CCSP receberá uma performance do ator Pascoal Conceição, que completa 50 anos de carreira neste ano. Com longa trajetória no teatro, ele é mais lembrado por ter interpretado o Doutor Abobrinha no programa infanto-juvenil “Castelo Rá-Tim-Bum”, exibido pela TV Cultura nos anos 1990. Também viveu o escritor Mário de Andrade na série “Um Só Coração”, da Globo.
_Rua Vergueiro, 1.000 – Paraíso

19h Metá Metá 
O grupo formado por Kiko Dinucci, Juçara Marçal e Thiago França está em atividade desde 2008 e cativou um público fiel com seu jazz sofisticado. “MM3”, lançado em 2017, foi indicado ao Grammy Latino de melhor album de rock ou música alternativa em língua portuguesa. A apresentação será realizada no Centro Cultural São Paulo.
_Rua Vergueiro, 1.000 – Paraíso

20h – Orquestra Sinfônica Municipal apresenta Aniversário de São Paulo
O Theatro Municipal recebe a Orquestra Sinfônica Municipal para um concerto comemorativo. Os ingressos custam de R$ 10 a R$ 60. É necessário seguir os protocolos de segurança, que incluem a apresentação do comprovante de vacinação. No 10 de fevereiro, o Thetro receberá a exposição Recostura, de Chris Tigra, em homenagem ao centenário da Semana de 22. Também ocorrerão no tradicional palco modernista, ao longo das festividades, apresentações temáticas do Coral Paulistano, Orquestra Experimental de Repertório, Dona Onete e DJ Ju Salty.
_Praça Ramos de Azevedo, s/nº – Sé