Anvisa cancela autorização a spray nasal contra a Covid-19

Produto não é o mesmo anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro em 2021; segundo agência, nenhum estudo comprovou que item tinha efeitos desejados

  • Por Jovem Pan
  • 19/01/2022 16h24
Anvisa/Ascom Sede da Anvisa Spray barrado pela Anvisa prometia proteger contra Covid-19 e outras doenças respiratórias

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) cancelou nesta quarta, 19, a autorização de notificação ao spray nasal Taffix, que seria indicado para prevenir a Covid-19. A notificação foi feita pela empresa Belcher Farmacêutica no dia 30 de dezembro e o produto teria a intenção de bloquear diversos vírus dentro da cavidade respiratória, incluindo o coronavírus e a influenza, da gripe. De acordo com a agência, o produto não apresentou estudos clínicos que comprovassem a eficácia do spray, de forma que o cancelamento foi necessário. Assim, o produto da empresa israelense Nasus Pharma não poderá ser importado pela Belcher Farmacêutica. O produto não é o mesmo anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em 2021, o EXO-CD24, originalmente desenvolvido para combater câncer de ovário, que seria testado no Brasil contra Covid-19.

De acordo com a Anvisa, o regime de notificação, utilizado para produtos que são isentos de registro por apresentarem baixo risco, dispensa análise técnica prévia para a regularização do produto. Após a petição inicial, estes passam por um rito administrativo e recebem um número de notificação. Contudo, a empresa que comercializa o item deve comprovar por meio de estudos clínicos que ele realiza todas as indicações de uso propostas, e a Anvisa também realiza um acompanhamento posterior para garantir que tudo esteja de acordo. Em nota publicada no site nesta terça, 18, a Belcher Farmacêutica afirma que o “spray em pó que se transforma em um gel na cavidade nasal e cria uma barreira ativa para proteger e desativar os vírus frequentemente encontrados e transportados pelo ar, portanto, se enquadra como um produto para a saúde”, e não como um medicamento. A empresa previa começar a vender o spray nas farmácias em fevereiro. Procurada pela Jovem Pan, a Belcher não respondeu sobre o cancelamento até a publicação desta matéria.